“A França Não É Kiev!”

Dr. Michael LaitmanNas Notícias (da Fundação Estratégica da Cultura): “Os protestos sociais estão em alta na França. No início de novembro, uma onda encontros dos Bonnets Rouges (gorros vermelhos) atingiu a região da Bretanha, na parte noroeste da França. Trinta mil pessoas realizaram uma manifestação em Rennes, a capital da região, para protestar contra o desemprego e o ‘imposto ecológico’. Houve confrontos com a polícia, que usou canhões de água e bombas de gás lacrimogêneo; um dos manifestantes perdeu a mão quando uma granada de gás foi jogada. O ministro francês Jean-Marc Ayrault disse que as violações da lei e da ordem eram inadmissíveis. Não é Kiev, capital da Ucrânia, onde tudo é permitido! Alguns dizem que a França terá que sair da crise com outros políticos no comando. Se algum dia sair da crise…

“É a segunda economia da União Europeia. Ainda assim, o governo não consegue lidar com a crise econômica e social. …O crescimento da economia francesa parou. O desemprego foi de 10,9% no terceiro trimestre do ano em comparação com 10,8% no segundo. A França não vê tal nível de desemprego desde 1998. É especialmente grave para os jovens…

“A agência de classificação de risco Standard & Poor’s rebaixou o rating da França pela segunda vez em dois anos. Parece que a França está prestes a se juntar à lista de membros da União Europeia que enfrentam problemas de solvência, como a Itália ou a Espanha. A situação financeira realmente torna a França um país problemático…

“A falta de renda foi compensada pelo aumento de impostos e o aumento da dívida. Isso tem limites. Em 2015 o governo vai começar a reduzir as despesas do Estado para reduzir o défice para o nível exigido de 3%. É exatamente sobre isso que a Standard & Poors tem dúvidas…

“De acordo com as pesquisas, os dois principais partidos políticos franceses liderados por François Hollande e Nicolas Sarkozy, perderam na verdade o apoio popular. Seu lugar está sendo consistentemente tomado pela Frente Nacional liderada por Marine Le Pen. …Os principais slogans políticos da nova força política francesa incluem: a saída da OTAN e da União Europeia, o retorno à antiga moeda – o franco, a construção de uma aliança continental dos estados do Atlântico para o Pacífico, juntamente com a Rússia, mas sem imigrantes, voltar aos valores familiares tradicionais (para excluir as perversões, como os casamentos do mesmo sexo)”.

Meu Comentário: As ideias de revolução e socialismo sempre estiveram perto do francês. Mas, por outro lado, é na França que vemos indiferença às idéias de educação e formação integral, sem falar na Cabala. Talvez, em contraste com o povo russo, é inerente à especificidade da Revolução Francesa e, em geral, ao caráter francês.

Comente