Da Conscientização De Um Inseto Minúsculo À Consciência Do Homem

Pergunta: Meus alunos estão constantemente me perguntando: “Qual é o sentido da minha vida? Por que me sinto tão ruim e vazio neste mundo”? Eu não sei como responder a eles.

Resposta: Hoje, a questão do sentido da vida tangível aparece dentro de muitas pessoas. É muito difícil de entender a resposta a essa pergunta através do nosso vaso corporal. Um pequeno inseto não entende que outro tipo de vida existe. E nós também nos assemelhamos a pequenos insetos. E embora nós sejamos mais desenvolvidos, tanto em um sentido positivo como negativo, nós realmente existimos no mesmo nível: nascemos, vivemos, morremos, e nada é deixado de nós.

A força superior determina todas as nossas ações. Então o que há para falar? Há boas ou más pessoas nesta situação? Não. Todos nós executamos o plano da criação.

Agora a humanidade está chegando gradualmente à percepção de que todos nós estamos incluídos em algum plano que funciona para nós contra o nosso desejo. Nós não somos capazes de fazer nada contra ele, exceto por uma coisa, querer saltar e escapar dele. Só assim poderemos sair do plano egoísta e entrar no plano altruísta.

Para que a transição para isso seja possível é preciso aquiescer com as leis harmoniosas da natureza, com leis especiais de permuta que ajudam a subir a um nível de nova existência e ser incorporado nela.

No plano altruísta, não há realmente nada do nosso mundo que resulte do ego. Lá, tudo existe acima da velocidade da luz: o tempo desaparece, assim como o movimento e espaço, e existe apenas a nossa consciência existe.

Precisamos entrar em tal estado, enquanto continuamos a ser aqueles minúsculos insetos que rastejam sobre o plano deste mundo. É para isto que o enriquecimento e a educação integral nos leva.

[120746]

Da Convenção Bulgária “Nascimento de um Novo Dia”, Segundo Dia, 2/11/13, Lição 5

Material Relacionado:
O Homem Não Desiste
Malchut Que Desejava Alcançar Keter

Comente