Aceitar A Proposta Do Criador

Dr. Michael LaitmanTudo o que temos neste mundo é necessário para a nossa correção, para o nosso trabalho. Não há nada extra, nada pode ser adicionado ou subtraído. Tudo é precisamente calibrado porque vem do vaso perfeito completamente preenchido com a Luz, do projeto que contém o objetivo final, o estado ideal. Só a nossa participação está faltando: o nosso acordo com esse quadro ideal, o estado perfeito, criado pelo Criador.

Mas nós temos que concordar a partir da escuridão, do estado oposto, das dúvidas e esclarecimentos, pesando todos os argumentos “a favor” e “contra”. Somente quando a pessoa verificou e pesou tudo, é que ela fica convencida de que o Criador é bom e deseja-lhe o bem; o Criador está acima da criação, Ele é o primeiro, Ele é o último, e “Não há outro além Dele”. Então, ela dá ao Criador todos os nomes sagrados em gratidão por cada ação Dele e forma de controle que foram reveladas.

Primeiro de tudo, temos que estudar esta imagem desmembrada: entender e concordar que ela está quebrada e que a nossa tarefa é remontá-la, trabalhando juntos em nossa conexão. A quebra aconteceu em nossas relações, embora pensemos que este mundo esteja quebrado.

Os problemas parecem externos a nós: na economia, ecologia, relações humanas comuns, no trabalho, na família, entre cônjuges, pais e filhos, em todos os níveis da natureza inanimada, vegetal e animal. Há tumultos e confusões ao redor. O que nós precisamos é imaginar o sistema completamente ligado à conexão entre as pessoas. Só melhorando nossas relações mútuas é que podemos mudar o sistema em todos os seus níveis: inanimado, vegetal, animal e, além disso, no nível humano, nos sistemas sociais, devido a que o ser humano se ergueu acima do mundo animal.

Uma vez que o ser humano veio do macaco, ele começou a desenvolver relações públicas, tecnologia, comércio e indústria. Mas todos eles são baseados apenas nas relações entre as pessoas. Este é o único lugar onde podemos influenciar e mudar. Conforme melhoramos nossas relações, isso nos aproxima da verdade: da conexão, da união e garantia mútua. Todos os níveis restantes deste mundo estarão conectados corretamente, tomarão seus lugares, e todo o mundo vai se acalmar e alcançar a prosperidade.

Para este trabalho, não basta representar o “justo”, aparentemente não exigindo nada para si mesmo. Não há nada que possamos fazer, todos nós nascemos e crescemos no egoísmo. Não há vergonha nisso, só precisamos reconhecer o mal e corrigi-lo: fazer um cálculo honesto consigo mesmo, pois qual for razão, é preciso mudar.

Todo mundo está envolvido na correção interna em seu grau, como é dito: “eduque a criança de acordo com sua forma”, a sua disponibilidade. Mas qualquer pessoa deve de alguma forma corrigir sua natureza. É por isso que precisamos trabalhar em três linhas. A linha esquerda é o mal em nós que é cada vez mais revelado. A linha direita é a correção desse egoísmo pela força de doação que atraímos de cima devido à nossa conexão.

Nós construímos a terceira linha a partir destas duas linhas. O desejo de desfrutar da linha de esquerda, que é corrigido pela Luz que Reforma, se transforma em um vaso espiritual, chamado de alma. Nela, de acordo com a equivalência de forma, o novo sistema integral, a nova realização, é revelado. Isto significa que o Criador é revelado dentro dos seres criados, dentro da conexão das almas. Shochen reina na Shechiná (Divindade). Este é o trabalho na linha média.

Da Preparação para a Lição Diária de Cabalá 24/11/13

Comente