A Meta Do Ser Humano

Dr. Michael LaitmanBaal HaSulam, “O Ensino da Cabala e sua Essência”: E a coisa mais importante em toda essa realidade diversa é a sensação dada aos animais de que cada um deles sente a sua própria existência. E a sensação mais importante é a sensação intelectual, dada somente ao homem, pela qual a pessoa também sente o que ocorre em outra: as dores e confortos.

De toda a criação, o ser humano é o mais desenvolvido em relação aos seus desejos. Como podemos saber sobre eles? Isto está de acordo com os seus movimentos e ações, as quais constituem essencialmente a expressão da seu desejo interior.

Veja que bagunça o ser humano faz no mundo. Por outro lado, os animais não mudam nada, mas apenas se movem, a fim de satisfazer seus desejos, e com o nível vegetal, não há sequer desejo suficiente para se mover. Portanto, segue-se que o ser humano é motivado pelo maior desejo. Ele quer mudar o mundo e a si mesmo e não apenas mover-se e crescer. É para isso que ele usa os poderes encontrados dentro dele.

Assim, o ser humano é o centro da criação, a criatura que foi desenvolvida no final da criação e para a qual foi desenvolvida toda a criação. Portanto, nós devemos entender: toda a realidade do inanimado, vegetal e animal se destina a servir o ser humano e para ser útil para ele para atingir a meta.

Qual é a meta? O ser humano deve chegar a esse poder superior que o criou. Ele está escondido do ser humano como resultado da lei de equivalência de forma, e a pessoa deve mudar a si mesma, a fim de alcançar a semelhança de propriedades de acordo com a lei de equivalência de forma, e ela vai revelar plenamente esse poder que a criou. Esta identificação e aproximação é chamada de adesão, que se manifesta como a conexão completa. Isto é o que o ser humano deve alcançar.

Da 4a parte da Lição Diária de Cabalá 14/11/13, Escritos do Baal HaSulam

Comente