No Primeiro Grau Espiritual

Dr. Michael LaitmanAgora, quando estamos envolvidos na disseminação especial entre o público em geral em todos os países do mundo, eu gostaria de fazer um comentário muito sério.

O fato é que o nosso movimento em amplos círculos da sociedade deve perseguir a única meta: a unidade entre nós, de modo que nos sentimos perto da coesão interna, da necessidade pelo outro.

Se esta condição for satisfeita, então sair é positivo, necessário e eficaz. Se sair nos divide, nos esfria, nos afasta, então precisamos parar com isso, porque a coisa mais importante para nós é criar um centro do grupo em que começamos a sentir o Criador, caso contrário, não há nenhuma razão na disseminação. De fato, nós só podemos alcançar as massas se organizarmos o vaso espiritual, o Kli espiritual, o lugar onde o Criador é revelado.

Nós estamos estudando há anos, e como resultado destes estudos, trabalhando entre nós. Além disso, a disseminação, muito passivamente, concentrou-se principalmente na disseminação do nosso material online; nós trabalhamos dentro de nós mesmos. Agora, chegamos a certo ponto de saturação e não conseguimos mais nos mover. Não podemos nos comprimir para que a conexão mútua seja formada dentro de nós mesmos onde alguma semelhança com o Criador é manifestada, isto é, elevando-se acima do nosso egoísmo.

O problema é o seguinte: Como podemos nos unir? É por isso que vamos às massas. Afinal, nosso objetivo principal é a unidade, alcançar Arvut (garantia mútua), tal adesão no grupo que nos levará à equivalência mínima com o Criador no primeiro nível espiritual.

Nós ainda estamos no chão, levantando nosso pé, querendo ir até o primeiro grau espiritual, mas não podemos, precisamos de um empurrão. Para sermos empurrados por trás, nós saímos para os círculos amplos da sociedade, bibliotecas, escolas, universidades, inúmeras instituições de ensino e outras mais e disseminamos em amplitude. Nós nos esforçamos para obter das massas seus desejos para superar todos os tipos de crises que agora estão se desenvolvendo tão rapidamente no mundo.

Portanto, não devemos esquecer que a coisa mais importante é criar o centro do grupo, em que esperamos a manifestação do Criador. Este é o primeiro degrau da escada: Sua primeira manifestação entre nós, em nós.

Tudo o que fazemos, seja qual for a forma que nos engajamos na disseminação externa usando várias oportunidades, nós sempre temos que separar cada ação e analisá-la em termos de sua utilidade para a unidade global. Só então poderemos tomar uma decisão sobre se vale a pena fazer alguma coisa ou não. A unidade interna deve determinar nossa saída para o mundo: seu tipo, estilo, oportunidades e as pessoas que estarão envolvidas nessa ou naquela atividade.

Da Conversa sobre Disseminação 17/10/13

Comente