As Duas Verdades

Dr. Michael LaitmanA natureza original do trabalho espiritual reside no fato de que a pessoa deve se acostumar a estar em estados opostos. Apesar de sua polaridade, ela tem que ser capaz de viver em ambos, discernindo um do outro como um “benefício da Luz proveniente da escuridão”, e assim avançar.

Isto é muito difícil de entender para o iniciante. Afinal, no mundo corpóreo, nós agimos com base apenas em nosso desejo egoísta de sentir prazer; não há desejo de doar aqui, e por isso só há uma verdade. E tudo o que se opõe a ela nós consideramos falsas.

Na espiritualidade, é o contrário. Como nós subimos até o Criador a partir da criatura, ambas as extremidades da escada espiritual são verdadeiras. E quanto maior for a inclinação ao mal, o ego do homem, mais alto ele pode subir. Uma vez ele vai ser mau e outra vez ele vai ser justo. E cada vez estes estados, tão distantes um do outro, surgem numa pessoa.

Portanto, nós devemos ver esses dois estados corretamente, tanto a subida como a descida: nós devemos nos elevar acima deles. Em outras palavras, existe eu e existe o meu estado de ser. Pode ser uma descida ou subida, mas isso não tem nada a ver com o meu “eu”, porque “eu” é o ponto onde eu gostaria de conseguir a adesão com o Criador. Eu tenho que perceber todos os estados sucessivos, se necessário.

Eu “não presto atenção” aos meus sentimentos ou os aprofundo, mas sim avalio a eficácia de determinado estado, se eu subo acima dele, para alcançar o objetivo final.

Da 1ª parte da Lição Diária de Cabalá 10/12/10, Escritos do Rabash

Comente