Egoístas Unidos Em Grilhões Integrais

Dr. Michael LaitmanNós não podemos influenciar a descoberta das conexões gerais no mundo moderno. Este processo continua enquanto nós fracassamos como peixes numa rede, necessariamente sentindo a nossa maior dependência mútua.

Por outro lado, internamente, nós estamos cada vez mais separados e dispersos. É assim que deve ser; caso contrário, nós perderíamos a nossa liberdade de escolha.

Este processo envolve muitos fatores e é contínuo. Ao mesmo tempo, essa conexão continua a crescer, o nosso ego se torna mais forte. Hoje, o derramamento de sangue em várias partes do mundo e o assassinato de mulheres e crianças já não despertam compaixão como antes. Nós pensamos que nos tornamos mais sensíveis e cultos, mas, na verdade, nos tornamos mais violentos e não consideramos a conexão entre nós.

Algum tipo de véu a esconde de nós; nós vemos a mesma imagem falsa da separação coletiva. Além disso, mesmo se eu estou ciente de que dependo dos outros, eu não estou preparado para considerar isso. Os resultados são muito tristes. Será que é possível explicar o que está acontecendo no mundo de forma lógica? Se alguém nos olhasse de fora, não iria encontrar qualquer lógica: “O que eles estão fazendo? Por que eles estão fazendo todos os esforços para destruir a vida um do outro?”.

A natureza humana é contrária à natureza do inanimado, vegetal e animal. O animal e o vegetal são um único complexo que constitui a vida, imersa na preocupação com o futuro. O principal desejo dos animais é reproduzir e alimentar a prole. Esta é uma lei imutável da natureza. Nós, ao contrário, desconsiderando a próxima geração, destruimos o mundo em que eles terão de viver. Não importa para nós o que será deixado para as nossas crianças. Os recursos estão se esgotando, o clima está cada vez pior, há falta de água e ar limpos, as árvores estão sendo cortadas… E daí? Nós estamos inclusive dispostos a fazer a guerra; agora nós temos arsenais nucleares para isso.

Na verdade, a nossa abordagem é irracional, desafiando toda a lógica. E aqui há uma necessidade de dar a resposta certa, de tomar uma decisão. Uma vez que na lógica e na compreensão nós estamos mais fortes do que nunca, vamos separar a mente do ego e nos tornar responsáveis pelo que está acontecendo. Como pode ser que a humanidade, embora esteja pronta para escolher uma maneira completamente diferente de ser, continue avançando em direção ao abismo?

A idéia é que, hoje, o verdadeiro inimigo é o nosso ego. Descaradamente e de uma maneira sem precedentes, ele nos engana em todos os sentidos possíveis, tanto que não há nada na vida que possa ser apreciado, que possa confortar e ser gratificante.

Vamos torcer para que possamos descobrir o verdadeiro estado das coisas o mais rápido possível e parar a espiral descendente até a guerra mundial. Vocês podem ver, hoje, que mesmo esta ameaça não tem a mesma força de dissuasão que tinha no passado. “Está tudo bem”, o ego nos diz: “Vamos lutar um pouco. Havia sete bilhões, sete milhões permanecem. Acontece…”. Nós não podemos nos controlar e já podemos vislumbrar que este cenário é bastante provável.

Enquanto isso, nós estamos descobrindo uma rede de conexão geral ao longo deste processo. Ela é descoberta na forma de duas forças: uma vem do Criador, nos ligando e juntando. A segunda força origina-se no ego, nas Reshimot (genes espirituais) quebradas. Ela nos divide e separa. A Luz Circundante que vem de um “círculo” completo nos influencia mais, mostrando-nos que também somos “redondos”. Apesar disso, sob a sua influência, o ego entra em erupção cada vez mais e, finalmente, nós estamos divididos entre essas duas forças opostas, fazendo-nos sofrer duplamente. Através do ego atual, nós poderíamos ser bem sucedidos, mas isso seria revelado como oposto a rede mundial global e nós já não extrairíamos benefícios dele. Você vê, a fim de ser bem sucedido na rede global, eu devo estar bem relacionado com todos corretamente. Isto é o que a rede exige de nós, mas ela esbarra na oposição da nossa natureza. Enquanto isso, a natureza egoísta fica mais forte.

Se eu experimento muito sofrimento por causa do meu ego, que ferve e borbulha dentro da rede coletiva que conecta todos nós firmemente, pode ser que eu mude. A experiência não impede este sofrimento; até o último momento eu vou tentar fugir e ficar longe dele. Somente através da educação integral, onde se encontra a Luz que Reforma, eu poderei elevar meus olhos e ver o que está esperando por mim com antecedência. A educação integral torna possível ligar o ego à rede global e nos mostra como usá-lo de acordo com as regras dessa rede.

Geralmente, eu preciso encontrar uma resposta para mim mesmo: o que mais pode ser feito? Para isso, cabe a nós primeiro entender aonde nós chegamos. Nós chegamos a um mundo de egoístas que estão acorrentados um ao outro. Nós queremos nos espalhar tanto quanto possível; algo interno nos atrai para fora, nos separa, mas, em contrapartida, a rede mundial nos engloba. Então, o que há para fazer? De onde você tira forças para o equilíbrio, para a calma?

Isto é o que a educação integral precisa explicar para as pessoas: você pode se tornar sereno, relaxar num sentimento de perfeição que é difícil até de imaginar. Como podemos fazer isso? Nós não somos donos do nosso ego. Nós não podemos diminuí-lo; até mesmo no futuro ele vai continuar a crescer. Mesmo com a rede, é impossível fazer qualquer coisa; ele nos empurra para mais perto um do outro.

Somente a Luz que Corrige pode corrigir a conexão entre nós e nos levar ao equilíbrio. Ela nos eleva acima do ego e nos transforma para que possamos usá-lo de acordo com as regras da rede e ser incorporado nela.

É possível expressar isso de outra forma: quando nós começamos a nos conectar artificialmente, em última análise descobrimos que podemos fazer isso de verdade. Dentro desta unidade, nós descobrimos uma nova vida, um novo espírito, novos poderes e uma nova realidade. Na verdade, esta é a sabedoria das massas, a unidade que eleva todos a uma boa conexão. Quando nós aspiramos a unir em igualdade de condições, nesta aspiração coletiva, encontramos um poder sobre o qual não tínhamos idéia anteriormente. Isso funciona para todos, crianças e adultos, jovens e velhos, mulheres e homens. Todos podem compreender um único mosaico.

Ao mesmo tempo, cada um de nós se transforma para ser cada vez mais complexo. Nosso “quebra-cabeça” comum é realmente um sistema complexo. Mas não há nada com que se preocupar aqui; no momento em que aspiramos à unidade, os componentes do sistema começam imediatamente a revelar diante de nós um quadro geral de integração e plenitude mútua.

Da 4ª parte da Lição Diária de Cabalá 06/05/13, “A Garantia Mútua”

Comente