A Ira Da América

Dr. Michael LaitmanNas Notícias (de Economist’s Club): “(…) as crescentes taxas de doença mental grave (que já têm sido muito altas por um longo tempo) dos Estados Unidos. A alegação de que a disseminação da doença mental grave atingiu proporções “epidêmicas” foi ouvido tantas vezes que, como qualquer banalidade, perdeu sua capacidade de choque. Mas as repercussões para a política internacional das condições incapacitantes diagnosticadas como doenças maníaco-depressivas (incluindo depressão unipolar) e esquizofrenia não poderiam ser mais graves”.

“Provou-se ser impossível distinguir, seja biologicamente ou sintomaticamente, as diferentes variedades destas condições, que constituem, portanto, um continuum – com maior probabilidade de complexidade, ao invés de gravidade. De fato, a mais comuns destas doenças, a depressão unipolar, é a menos complexa em termos dos seus sintomas, mas também a mais letal: estima-se que 20% dos pacientes deprimidos cometem suicídio”. …

“Um estudo estatístico maciço, conduzido de 2001 a 2003 pelo Instituto Nacional de Saúde Mental dos EUA (NIMH), estimou a prevalência de depressão maior entre os americanos adultos (idades 18-54) em mais de 16%. A prevalência ao longo da vida de esquizofrenia foi estimada em 1,7%. Não há cura conhecida para estas doenças crônicas; após o início (geralmente antes dos 18 anos), elas são susceptíveis de durar até o fim da vida do paciente”. …

“Tudo isso sugere que até 20% dos adultos norte-americanos podem estar gravemente doentes mentalmente. Tendo em vista as disputas sobre o significado dos dados disponíveis, vamos supor que apenas 10% dos adultos americanos estejam gravemente doentes mentais. …

“Epidemiologistas comparativos têm notado repetidamente algo notável sobre essas doenças: apenas os países ocidentais (ou, mais precisamente, as sociedades com tradições monoteístas) – sobretudo países ocidentais prósperos – estão sujeitos a taxas de prevalência desta magnitude. Países do Sudeste Asiático parecem ser especialmente imunes ao veneno da doença mental grave; em outras regiões, a pobreza, ou a falta de desenvolvimento, parece oferecer uma barreira protetora “.

Meu Comentário: Este não é apenas o modo de vida ocidental, mas a indicação da última forma de egoísmo, que nos obriga a corrigi-la como uma “ajuda contra ele”. O mesmo egoísmo se expõe para nos mostrar exatamente que o problema está nele. Ele também revela o método de sua correção: “Método da Educação e Formação Integral” ou o “Método de Desenvolvimento Integral”.

Comente