Condições Verdadeiras Para O Desenvolvimento Integral

Dr. Michael LaitmanPergunta: Para uma pessoa ser incluída numa rede integral, devem existir pelo menos duas condições. Por um lado, é necessário anular a si mesma em relação à opinião social, a fim de absorver tudo dela. Por outro lado, ela precisa se colocar num estado onde a sua opinião também é útil para a sociedade. Existem condições adicionais?

Resposta: A fim de criar relacionamentos corretos, iguais com a sociedade, nós realmente devemos usar muitas condições variadas. Por enquanto, nós estamos em interações muito complexas dentro da sociedade que estão mudando constantemente.

Primeiro de tudo, quando falamos com as pessoas sobre a criação de uma sociedade integral, é preferível tomar algum grupo restrito. Este poderia ser um grupo organizado dentro de alguma empresa ou no âmbito de atividades em grupo, clubes, e assim por diante. Ou seja, é melhor ter um número limitado de pessoas, alguns Grupos de Dez, e gerenciar o trabalho de educação integral entre eles.

Para fazer isso nós precisamos montar uma lista inteira de formas de comportamento da pessoa com relação à sociedade e da sociedade com relação à pessoa.

Nós já sabemos que se uma pessoa diminui a si mesma no que diz respeito à sociedade, isto a ajuda a ouvir a opinião da sociedade. Por outro lado, ela deve acrescentar algo de si mesma. Isso significa que ela precisa se apresentar como um componente muito importante da sociedade e estar preparada para dar algo a ela.

Cada membro do grupo deve entender que, para que as pessoas tenham algum tipo de motivação e incentivo, nós precisamos falar com elas sobre a importância do objetivo que elas alcançarão.

Além disso, elas devem se apoiar com um bom espírito e atitude exaltada. Meios especiais como músicas e refeições compartilhadas são fundamentais para isso, algo que irá conectá-las de modo que não apenas se sentem e conversem.

Elas devem sempre organizar eventos como palestras em torno de uma mesa-redonda e workshops onde trocam opiniões e aprendem como conversar. Pode muito bem ser que elas precisem convidar atores que lhes falarão e lhes orientarão sobre como falar entre si.

Nós estamos falando aqui da nossa natureza interior que quer explorar todos apenas para seu próprio bem. Ou seja, eu sei que sou um egoísta e estou pronto para atirar em todos. Nós entendemos que esta é a nossa essência. No entanto, além disso, fora dela, cabe a nós brincar de sermos pessoas boas, brincar comigo mesmo e com os outros sem pretensão, mas seriamente, justamente para ver e construir uma sociedade assim. Como crianças que brincam de ser adultas, nós nos reunimos em pequenos grupos de três a quatro pessoas.

Para que a ação do jogo seja eficaz, nós precisamos de atores e até mesmo diretores e produtores que irão nos explicar: “Agora, nós brincamos que estamos numa sociedade do futuro que queremos alcançar. Portanto, em primeiro lugar, nós precisamos discutir num workshop o que queremos atingir, fantasiar um pouco, e depois implementá-lo.

Desta forma, nós despertamos as forças integrais que estão escondidas na natureza e que conectam todos nós. A verdade é que já nos encontramos nesta rede, embora ainda queiramos fazer com que as forças de desenvolvimento nos influenciem, as quais vão nos dirigir para frente.

Se uma criança brinca (joga) com algo, ela desperta uma força de desenvolvimento em si mesma e cresce nesta direção. Uma criança coleciona selos, outra quer projetar e construir, e uma terceira quer ser atleta. Ela quer! A principal coisa é que ela anseia! A ideia é que isso não ocorre através de treinamento, mas através do desejo. Este desejo atrai a força integral até a pessoa que se adere a este modelo. É deste modo que a pessoa aborda isso.

A mesma coisa acontece aqui. Nós precisamos jogar tanto quanto possível como se estivéssemos na nova sociedade integral. Nós devemos descrevê-la para nós mesmos, imaginá-la, falar juntos sobre a sua forma futura e, juntamente com os nossos professores, inclusive com diretores e atores que organizam o nosso sistema de mudança, treinamento e correção. Não importa como nós a chamamos; nós precisamos jogar com isto.

Junto com isto, o jogo continuará a ser um jogo. Nós estaremos prontos a nos deixar levar e jogar, até o ponto em que, de repente, fingimos que já estamos vivendo a vida de uma forma maravilhosa, como, por exemplo, em algum tipo de “Cidade do Sol” utópica. Nosso ego não vai permitir isto. Ele cresce o tempo todo e levará cada um a seu próprio nicho egoísta particular.

Este jogo é muito eficaz. Ele nos mostra como podemos descrever o nosso futuro para nós mesmos, como nos imaginamos como diferentes e corrigidos, nossas interações, conexões e a sociedade como um todo.

Nós podemos discutir e decidir como organizaremos a rede social de desenvolvimento, o sistema de educação pública para os nossos filhos, a vida familiar na sociedade integral, tudo o que for possível. Por exemplo, de que modo nós podemos trabalhar no sistema de saúde e nos sistemas financeiros, econômicos e de negócios, e assim por diante. O que diremos e o que seremos nesta sociedade, e o que não. Que problemas são suscetíveis de serem criados e como vamos resolvê-los. Tudo isso precisa ser tema dos workshops. Todos nós temos que discutir isto.

Desta forma, nós nos elevaremos e nos aproximaremos das condições integrais. Nós podemos ver o que nos falta, como será possível materializar isto, e tentamos perceber isto parcialmente na conexão entre nós e um pouco na imaginação. Enquanto isso, esta fantasia permanecerá no reino do sonho. No entanto, ela irá se desenvolver mais e mais, e aproximar-se de algum tipo de imagem real.

De KabTV “A Sabedoria das Massas”, 14/05/13

Comente