Escolha Quem Você Prefere Ser: Um Pecador Ou Um Justo

Dr. Michael LaitmanBaal HaSulam, Shamati No. 99: “Ele Não Disse Ímpio ou Justo”: … se a pessoa não tem qualquer desejo e anseio pela espiritualidade, se ela está entre pessoas que têm o desejo pela espiritualidade, se ela gosta dessas pessoas, ela também tomará sua força para prevalecer e os seus desejos e aspirações, embora por sua própria qualidade, ela não tenha esses desejos e anseios e o poder de superar. Mas de acordo com a graça e a importância que ela atribui a essas pessoas, ela receberá novos poderes.

Isso significa que nós somos capazes de controlar nossas vidas e avançar à meta. Primeiro de tudo, é preciso esclarecer se vale a pena sacrificar a vida pelo objetivo. Esta vida não vai se repetir. É impossível tentar, e ficar decepcionado com o objetivo e começar a viver de novo. Isso não vai acontecer.

Portanto, a pessoa deve verificar atentamente se vale a pena passar sua vida nisso e, assim, juntar-se a pessoas que se esforçam, partilham e valorizam as mesmas aspirações. Isso nos permitirá obter essa aspiração delas, o que significa que nós consideramos a nossa meta como algo grande e temos energia para alcançá-la.

Depois de escolher a meta, a pessoa deve escolher o ambiente capaz de capacitá-la a atingir essa meta. Depois, ela começa a trabalhar para tornar seu ambiente agradável para si mesma. Quanto mais a pessoa é inspirada por seu entorno (o avanço de seus amigos e a importância de suas atividades), quanto mais ela consegue se rebaixar e se subordinar à influência dos amigos, mais ela adquire energia e inspiração para alcançar a meta e vai por todos os meios alcança-la.

Consequentemente, depois de escolher a meta e ambiente correspondente, todo o nosso trabalho subsequente refere-se apenas à obtenção do maior impacto e estímulo possível do ambiente. Sem isso, não teremos qualquer energia, vamos ser “jogados” para cima e para baixo. Nós vamos perder muito tempo balançando inutilmente para cima e para baixo, estando em estados confusos. Isso é chamado de “nem um dia, nem uma noite”. Assim, nem vamos perceber como nossa vida vai acabar.

Portanto, a coisa mais importante é se apegar aos nossos amigos, pegar um “hot spot” ao lado deles e nutrir-nos com a importância da meta. Esta é a forma como as relações de uma pessoa com a sociedade e os deveres da pessoa em relação aos outros são delineados. É preciso melhorar a sociedade não a ampliando em quantidade, mas qualitativamente. Além de tudo, nós devemos fingir e demonstrar aos nossos amigos o quão preciosa é a nossa meta e como o nosso ambiente é importante é para nós. Nós devemos estabelecer um exemplo para os outros de como nos rebaixar diante do grupo e em relação à nossa meta. Rabash descreveu todas as condições acima como leis essenciais que devem ser usadas ​​para criar um grupo, a fim de capacitar cada amigo com energia suficiente para atingir a meta.

Tudo depende da “atratividade” do grupo ao olhos da pessoa. É nisso que ela deve trabalhar. É por isso que está escrito: “Seria melhor se eu fosse esquecido, mas minha Torá fosse estimada, uma vez que Sua Luz Reforma”. A Luz trabalha dentro da conexão entre as pessoas. Então, por favor, deixem o Criador em paz, pois Ele vai Se revelar tão logo consigamos estabelecer uma conexão correta entre nós.

Eu recomendo que todos falem sobre este assunto à noite com suas famílias. Uma breve conversa e leitura de uma pequena porção basta, mas é muito importante para todos, para as mulheres em seus círculos e para as crianças.

Da preparação para a Lição Diária de Cabalá 09/06/13

Comente