Vá Ao Artesão Que Me Fez

Dr. Michael LaitmanComo todos os bons atributos espirituais cairam no desejo egoísta, eles começam a cultivá-lo e o tornam astuto, corrupto e cruel. Assim, a pessoa corrupta, que pode se corrigir no futuro, é feita.

Um animal não precisa de correção, uma vez que não tem nenhum desejo de doar para receber, não é astuto. Por isso, é chamado de animal não astuto. Um bebê também não é astuto até crecer. Quando ele cresce, ele se torna um ser humano e aprende a fazer trapaça. Até a idade de dois ou três anos ele se comporta como um animal e não sabe como se “mais esperto” que os outros.

Nós amamos a forma animal, pois ela é simples e inocente, e nós gostaríamos de ver todas as pessoas dessa forma. Mas nós devemos entender que fomos feitos para ser humanos e, portanto, “aquele que é maior do que seu amigo, seu desejo é ainda maior do que ele”. Nós só temos que corrigir o ego e tudo vai dar certo.

Qualquer atributo negativo ou enganoso, típico dos seres humanos, só nos mostra que a força prejudicial deve ser transformada numa forma benéfica. O que uma pessoa ingênua, primitiva, subdesenvolvida, pode fazer? Ela não pode subir e alcançar a altura desejada. Grandes pessoas não são geralmente muito agradáveis, até que se corrijam.

Assim, nós devemos amar o amigo no grupo (em seus dez), com todos os seus atributos corrigidos e não corrigidos. É porque ele os recebeu do Criador e quer corrigi-los, e todos devem ajudá-lo a fazê-lo. Criticar os atributos do amigo é criticar o Criador que o fez dessa maneira. “Vá ao artesão que me fez”, mas nós temos que ajudar um ao outro a alcançar a correção. Baal HaSulam muitas vezes diz: “Eu estou feliz com os ímpios que são revelados”.

Da 3ª parte da Lição Diária de Cabalá 27/05/13, TES

Comente