A Integralidade Compreensiva

Pergunta: Eu ainda não entendo o que a “integralidade” que falamos o tempo todo significa.

Resposta: Basicamente, trata-se de mudar a nossa abordagem, sobre um novo “conjunto de dados”, sobre uma nova perspetiva do mundo. O que é um “integral?” Vamos esclarecer isso em termos geométricos. Suponhamos que existe uma certa área, que pode ser dividida em pequenos quadrados de um determinado tamanho. Em seguida, a área de cada quadrado é um quadrado (1 … ²). Além disso, nós também ficamos com peças menores, que não são quadrados.

Então, como podemos calcular a área geral do corpo (S)? Nós adicionamos todos os quadrados à área e, em seguida, temos que calcular a área das peças especiais (S-?). Se estivéssemos a falar de peso, teríamos que ver qual é o seu centro de massa (He-?).

Então vamos dividir esta área em quadrados ainda menores e, em seguida, adicioná-los para cima. A soma (Σ) é chamada de “integral” (∫). Assim, podemos calcular de zero a infinito (∞), até aos mínimos detalhes.

Da mesma forma, chegamos ao nível mais baixo da raça humana através da educação integral, até ao último detalhe. Eventualmente, cada um de nós, cada “quadrado” é igual a todos os outros. Esta é a forma como a educação integral se relaciona com a generalidade, plenitude e complexidade.

A educação não vai corrigir o ego. O ego ainda vai permanecer como está, e não há nada que possamos fazer em relação a isso: Não pode ser re-treinado, re-educado para se deslocar de recepção para a doação. A educação integral ajuda a “cortar os cantos” , mas não corrige a humanidade. Ao implementá-la nós só aproximamos as pessoas a um estado que nos permite levar-lhes a Luz, e a Luz vai fazer o seu trabalho, que chamamos de “reformar.” A conclusão é que os círculos que construímos vão realmente mudar somente após passarmos a Luz para as pessoas.

Da 3ª parte da Lição Diária de Cabala 19/05/13, “A Garantia Mútua”

Comente