Textos arquivados em ''

O Mundo Tornou-se A Arca De Noé

Dr. Michael LaitmanPergunta: De que maneira cada um de nós pode se esforçar no Kli comum? O que precisamos fazer?

Resposta: Cada um simplesmente tem que pensar no que desejaria que acontecesse consigo, com o grupo e o mundo inteiro: homens, mulheres, crianças, velhos, todos os povos, toda a humanidade. Hoje, nós estamos todos no mesmo barco, a verdadeira Arca de Noé.

Diz-se sobre a arca de Noé que todos foram arrumados nela e ninguém comeu ninguém, mas todos viveram em paz. Pois esta Arca é a característica de Bina, que abrange e possui tudo dentro de si. Portanto, eles foram salvos do dilúvio, do grande ego, que entrou em erupção fora das paredes da arca e apareceu em todas as suas formas terríveis: erupções vulcânicas, furacões, tsunamis, nevascas e fogo ardente.

A Arca protegeu todos os que se encontravam nela, porque eles queriam salvá-la. Quanto mais protegemos a arca, mais a arca vai nos proteger. Pois a arca é a característica de Bina. Entrar na característica de Bina é como entrar num útero, numa arca que irá protegê-lo de todas as influências externas ruins e prejudiciais; nada pode prejudicá-lo mais.

Isso é especificamente o que precisa ser explicado ao mundo — que todos os problemas da humanidade são derivados do seu ego feroz. Mas se nós todos construirmos uma arca para nós mesmos e não nos comermos, se todos nós habitarmos juntos dentro dela, em nosso pequeno mundo fechado; se fizermos uma arca a partir do nosso pequeno mundo fechado, então seremos salvos. Caso contrário, o que aconteceu com todos aqueles que permaneceram fora das paredes da Arca de Noé acontecerá conosco, todos nós afundaremos nas águas do dilúvio.

Da 2ª parte da Lição Diária de Cabalá 28/03/13, Escritos do Baal HaSulam

“A Vingança De Marx”

Dr. Michael LaitmanOpinião (Michael Schuman, correspondente da TIME, autor de O Milagre: A História Épica da Busca da Ásia Por Riqueza): “Com a economia mundial numa crise prolongada e os trabalhadores em todo o mundo sobrecarregados com o desemprego, a dívida e a renda estagnadas, a aguçada crítica do capitalismo de Marx  — de que o sistema é inerentemente injusto e auto-destrutivo — não pode ser descartada tão facilmente. Marx teorizou que o sistema capitalista inevitavelmente iria empobrecer as massas conforme a riqueza do mundo se concentrasse nas mãos de uns poucos gananciosos, causando crises econômicas e elevando os conflitos entre os ricos e as classes trabalhadoras. …

“Os trabalhadores podem ter problemas comuns, mas eles não estão se juntando para resolvê-los.… Os manifestantes, diz Jacques Rancière, especialista em marxismo na Universidade de Paris, não têm como objetivo substituir o capitalismo, conforme a previsão de Marx, mas apenas reformá-lo”.

“Isso deixa em aberto uma possibilidade assustadora: Marx não só diagnosticou as falhas do capitalismo, mas também o resultado dessas falhas. Se os responsáveis políticos não descobrem novos métodos para garantir a justa oportunidade econômica, os trabalhadores do mundo apenas podem se unir. Marx ainda pode ter sua vingança”.

Meu comentário: E haverá a “primavera” Espanhola, Grega, e depois a da UE e a dos EUA… se o método de correção das pessoas e da sociedade não for aceito.

Nosso Assassino Número Um É A Nossa Preguiça

Dr. Michael LaitmanBaal HaSulam, Shamati, artigo 35, “Sobre a Vitalidade de Kedusha“: Assim, é uma correção que cada vez que a pessoa estende algo e tem uma descida, ela deve começar de novo, isto é, ter novos escrutínios. E o que ela tinha do passado caiu em Sitra Achra e ela mantém isso em sua autoridade como um depósito. Depois, a pessoa recebe tudo o que tinha recebido dele todo este tempo.

Assim, podemos ver que tudo o que acontece é em nosso favor. Graças aos desejos que o Criador quebrou e lançou no mar das forças impuras (Sitra Achra), ao outro lado, no desejo egoísta de desfrutar, nós temos a chance de avançar à Santidade, no sentido dos desejos de doar. Esses desejos de receber nos obrigam a atrair mais Luz.

Neste momento, nós atraimos um pouco de Luz, e os desejos de Sitra Achra imediatamente a engolem. Isto acontece repetidamente até que a medida esteja cheia. Então, o ego “vomita” tudo que engoliu e podemos recuperar toda a Luz que conseguimos atrair por um instante, mas fomos incapazes de manter. Assim, Sitra Achra ajuda a pessoa a acumular seu esforço, recolher todas as diminutas Luzes e, em seguida, devolver isso como uma medida completa que lhe permite atingir o nível espiritual.

É por isso que nós criamos os “animais sagrados” a partir das descidas, dos estados que geralmente não queremos, nem gostamos. Mas nós temos que compreender como devemos ser gratos por todos os mecanismos do sistema da Providência superior e especialmente pelo sistema das forças de impureza, que nos governa durante todo o período de preparação, até que nós entramos na autoridade da Santidade, do desejo de doar.

Enquanto a força de impureza nos domina, ela cumpre seu papel com extrema dedicação, que é ainda maior do que a dedicação do sistema de Santidade. Afinal, Sitra Achra deve trabalhar da maneira oposta ao Criador, de forma oposta a Ele. É um “anjo” especial, um sistema único, que segue o comando do Criador, Seu desejo, e executa ações que são opostas à Santidade, conforme o decreto de Cima.

Uma história semelhante é contada numa das cartas do Baal HaSulam: um rei nomeia diferentes vilões para reinar sobre seu súdito que ele decidiu elevar ao posto de primeiro ministro. Para isso, o rei envia seus servos vestidos como criminosos e assassinos, e graças à luta com eles, o escravo fiel cresce cada vez mais.

Todos os “vilões” que tiveram que lutar com ele estão cumprindo o seu trabalho com todas as vicissitudes e crueldade, e com esperteza criativa, só porque é a ordem do rei e não porque seja sua própria vontade. A força de impureza, nossos sistemas internos que parecem tão horrível para nós, funciona da mesma maneira.

Todos os crimes que acontecem no mundo, os assassinatos e quedas, parecem contradizer a vontade do Criador e temos de odiá-las. No entanto, nós devemos entender que não há nenhum mal — não há criminosos no palácio do Rei, e é tudo Seus sistemas que operam a partir de duas direções: o lado bom e o lado ruim. Nós só deveríamos odiar nossa própria preguiça, devido a qual não podemos realizar o nosso livre-arbítrio na escolha do nosso ambiente: o grupo, o único lugar onde somos livres.

Nós não devemos nos queixar de qualquer evento em nossa vida, exceto um: nossa incapacidade em nos apressar na hora certa, em usar o ambiente, e com a sua ajuda, avançar e apressar (santificar) o tempo.

Da Preparação para a Lição Diária de Cabalá 29/03/13

A Direção Do Pensamento

Dr. Michael LaitmanPergunta: Às vezes, quando estamos trabalhando no grupo, o Criador nos dá uma subida, estados avançados. Como podemos usá-los para avançar os 99% da humanidade?

Resposta: Nós temos que pensar nisso constantemente, porque tudo é resolvido em pensamentos. Nossos pensamentos são as maiores forças do mundo. Se o pensamento está no caminho certo, ele entra no vetor, em conexão com a Luz, e isso é algo que pode mudar o mundo.

A Luz Circundante nos afeta, e pelo nosso vetor nós o fazemos dirigido à Luz. Se acendermos uma lanterna ou um refletor, ambos brilham diretamente. Imagine que podemos fazer o mesmo com nossos pensamentos.

Se você pensar em alguém estando no estado correto, em bons pensamentos, você verá como você vai curar, corrigir, melhorar com isso. Tudo será bem sucedido.

Da Convenção Europeia na Alemanha 23/03/13, Lição 5

Removendo A Tela Da Saciedade

Dr. Michael LaitmanPergunta: Há períodos quando tudo progride de forma excelente: no trabalho, na vida, no grupo. Mas, no entanto, a pessoa constantemente deve ansiar pelo próximo nível. O que pode ser feito com esta sensação de saciedade, com nossa sensação de estar satisfeito o tempo todo?

Resposta: Isso é um problema. A sensação de saciedade deste mundo fecha o mundo superior para você. A “vida Burguesa” está matando tanto você que você não sente qualquer necessidade. Apenas o grupo pode desenvolver o sentimento de falta de valor dessa existência em você. Você precisa obter isso do grupo.

Você precisa discutir o mundo superior: o que é, a sua realização, o sentimento da realidade superior, o quão mais amplo e rico ele é comparado ao nosso mundo, à medida que ele abre o sentido da vida para você. Você também precisa discutir sua existência corporal, que vai acabar um dia, uma vez que todos nós existimos num corpo que tem uma vida própria.

Geralmente, a pessoa precisa pensar nisso e estimular a si mesma de todas as formas possíveis, sair do estado estático. O grupo existe por esta razão. Assim, você precisa da influência externa. Venha e visite-nos.

Da Convenção Europeia na Alemanha 23/03/13, Lição 5

Tornando-se A Luz Para As Nações

Dr. Michael LaitmanPergunta: O sistema de relações que existe atualmente entre o povo de Israel pode impedir que o mundo inteiro se liberte do egoísmo?

Resposta: Por todos os meios é assim. Se não estamos conectados uns aos outros, nós causamos maldade não só a mesmos, mas a todo o mundo.

O processo geral nos impacta da mesma forma que o resto do mundo, mas a nossa tarefa é reagir a ele de forma diferente. Não há nenhum sentido em esperar pela reação do mundo inteiro, uma vez que tudo o que eles têm é um desejo de receber, enquanto que nós também temos uma centelha de doação. Isso explica por que as nossas reações têm que ser corretas e atentas. A nossa missão é nos unir e nos tornar “a Luz para as Nações”, um “Reino de Sacerdotes”.

A ausência de união entre os judeus na Terra de Israel influencia não só a diáspora judaica, mas todo o mundo que nos odeia e despreza o Estado de Israel. Hoje em dia, ser “anti-Israel” está na “moda”, não o antissemitismo. Isto não é por acaso, uma vez que Israel é um lugar muito especial onde temos que nos unir, mas não fazemos isso. Se começarmos a cuidar da unanimidade entre nós, vamos eliminar todos os obstáculos e veremos que o resto do mundo vai nos acompanhar com muita alegria. As nações do mundo não têm um nível de egoísmo como nós temos. Assim, se aplicarmos esforços suficientes, elas se juntarão a nós em nosso caminho.

Além disso, os judeus que vivem no exterior também vão se relacionar conosco adequadamente. Hoje, eles odeiam Israel. A maioria deles vota contra Israel. Eles ficariam felizes se este Estado nunca existisse. Isso é o que refletem as pesquisas oficiais. Não podemos fazer nada sobre isso. Isso é acionado pela nossa não execução em seguir a nossa missão. Ninguém nos quer da forma como somos agora. Nós somos egoístas, protecionistas, literalmente uma “lasca” no corpo do mundo. Todos os problemas do mundo estão ligados a Israel. Ninguém percebe nossas conquistas; pelo contrário, nossas realizações apenas os irritam. Temos que levar uma metodologia de correção ao mundo, em vez de ensiná-los a usar o egoísmo de uma forma melhor e mais bem sucedida.

Pergunta: As nações do mundo não percebem qual é a missão de Israel, não é?

Resposta: Inconscientemente elas o fazem. Por que elas dizem que somos a razão para o mal geral? Porque sentem que dependem de nós. Essa sensação não é por acaso. Quando os líderes árabes afirmam que os judeus são a causa da maldade do mundo, eles realmente sentem isso. Não é apenas política, mas sim a voz do coração, sua sensação interna. Os judeus em vários países percebem que Israel moderno não contribui muito para este mundo. Por isso é que hoje há uma tendência de abolir Israel.

Infelizmente, ninguém em Israel ouve as predisposições do mundo. Nós nos comportamos como se não nos importássemos: nós continuamos a fazer negócios, ganhar dinheiro, aumentar o nosso bem-estar, discutir no Parlamento…

Nós vivemos como se nada estivesse acontecendo. É por isso que não podemos excluir a chance de que muito em breve seremos oprimidos com novos problemas imensos. Forças externas que vêm tanto dos judeus como das Nações do mundo podem propagar um desacordo entre o povo de Israel que irá causar tumultos, protestos, uma nova rodada de uma primavera “israelense”.

Isso significa que a experiência para criar um Estado de Israel não foi um sucesso; quanto tempo o mundo consegue tolerar isso? Por que atualmente todos os judeus do mundo são contra Israel? Se neste momento, na véspera da Páscoa não nos unirmos, então em 2 a 3 meses vamos acabar numa situação muito perigosa. Vamos esperar que encontremos as palavras corretas para nos dirigir ao povo de Israel e que eles nos entendam.

Nossa salvação está na união e na disseminação da união a todo o mundo. Nós temos que dizer abertamente ao mundo qual é a nossa missão, e que a união é exatamente o que as nações do mundo têm o direito de receber de nós. Em seguida, elas vão entender o quanto precisam de nós. Nossos relacionamentos internos anteriores só lhes causaram problemas; neste momento, deixe que a nossa união leve benevolência a todos. As pessoas entenderão e sentirão. Se nós mudarmos, então o nosso estado interno vai mudar também; caso contrário, nós não viveremos à altura de um bom futuro.

Pergunta: O que podemos fazer na véspera da Páscoa para parar esta evolução negativa?

Resposta: Aspirar a sair do Egito, ou seja, superar o ódio, a discórdia e a separação entre nós, em prol da união. Toda a nação, que agora está dividida em vários grupos e partidos, como também cada indivíduo em particular, têm que perceber que é a nossa união que definirá o nosso futuro, nada além disso!

De Kab TV “Cabalistas Escrevem: Êxodo do Egito” 04/03/13

Entre O Positivo E O Negativo

Dr. Michael LaitmanPergunta: Há duas forças na criação: positiva e negativa, o desejo de doar e o desejo de receber, a força masculina e a força feminina. Talvez a conexão entre as forças masculina e feminina esteja faltando para se descobrir a força única chamada “Uno”. Se isso for verdade, como podemos nos conectar?

Resposta: Somente através da inclusão do Criador. Não há outra maneira! Só Ele pode criar harmonia entre o positivo e o negativo. Diz-se “um homem e uma mulher, a Shechiná (Divindade) entre eles”. Um homem e uma mulher, positivo e negativo, estas duas forças opostas nunca serão capazes de se conectar sem a revelação do Criador.

Na natureza sempre deve haver uma resistência entre o positivo e o negativo, onde a energia mútua entre eles se torna proeminente, e é o Criador que desempenha esse papel. Primeiro Ele se revela na forma do ego, a resistência entre o positivo e o negativo, depois Ele conecta tudo num único sistema, e depois, no topo desta resistência, sua revelação torna-se revelada e começamos a senti-Lo.

Nós não podemos realmente senti-Lo. Ele é sentido em nossos desejos, em nossos vasos, na resistência que criamos entre o positivo e o negativo.

Suponha-se que esta é a nossa resistência, positivo ou negativo, o nosso ego (Ego). Se existe uma “corrente” que flui através dela, o que significa que estamos nos conectando apesar do ego, então no topo do resistor (R) nós começamos a revelar o Criador.

Between Plus And Minus

O Criador é o oposto do nosso ego, uma vez que Ele criou a escuridão a partir da Luz. Portanto, é em cima deste “instrumento” que descobrimos o Criador. Este “instrumento” é o nosso Masach (tela).

Da  Convenção Europeia na Alemanha 23/03/13, Lição 3

“Treze Anos” Entre As Klipot Imundas

Dr. Michael LaitmanBaal HaSulam, “Introdução ao Livro do Zohar“, p. 29: Porque, se nós não tivéssemos este desejo de receber danificado dentro de nós, não poderíamos corrigi-lo, pois ninguém pode corrigir algo que não está nele. Portanto, essa quantidade de desejo de receber que está incorporada no corpo desde o seu nascimento no ar do mundo não é o suficiente. Pelo contrário, é ainda mais obrigado a ser um veículo das Klipot (Cascas) imundas por não menos de 13 anos.

Segue-se que mesmo se eu possuir um grande desejo de receber, isso ainda não é o suficiente. Desde o início o Criador nos diz: “Vinde ao Faraó, porque Eu endureci o seu coração”. Ele vai inundá-lo com golpes, de modo que você vai querer fugir dele. É impossível me tirar da inclinação ao mal, até que ela alcance um nível em que já não posso suportá-la. Mas primeiro é necessário se tornar completamente consciente desse mal.

Em nosso mundo, nós educamos as crianças para ter cuidado, “Não vá lá, não faça isso…”. Mas, no mundo espiritual, não há nada parecido. Lá é o oposto; eles me mandam para “criminosos” e “ladrões”, “alcoólatras” e “drogados”, para os braços de Hamã, Balaão, Balaque, Esaú, e assim por diante. Caso contrário, como posso corrigir essas características? Na verdade, estas são partes não corrigidas da minha alma. Portanto, eu preciso possuí-las, senti-las como minhas, reconhecer o mal escondido dentro delas, e ser libertado delas, subir acima delas.

Pergunta: Será que eu devo ser mal para avançar espiritualmente?

Resposta: Como devo responder-lhe? Sim. É possível corrigir somente o que está dentro de você. Apesar de tudo, isto não quer dizer que eu devo me tornar mal. Uma coisa é eu querer matar alguém, como um terrorista. Outra coisa é eu querer amar, e ao mesmo tempo, descubro dentro de mim um desejo de matar. Estas duas abordagens são totalmente diferentes. E a diferença aqui é que eu descubro o mal em oposição a isso, eu percebo em mim mesmo que sou mal, mas eu não mato alguém que parece mal para mim.

“Treze anos” entre as Klipot imundas não é um tempo de acordo com o calendário; pelo contrário, é um nível, e o estágio é muito alto. Eu aspiro amar, doar, portanto eu descubro a minha inclinação ao mal. Esta é a condição; caso contrário, eu não avançaria no meu caminho espiritual em direção à correção, ao Criador.

Eu quero estar perto Dele, abraçá-Lo, beijá-Lo, dar-Lhe prazer de acordo com o princípio: “Não faça a seu amigo o que é odioso para você”, e “Ame o outro como a si mesmo”. Da mesma forma, por 13 anos, eu descubro o oposto da doação dentro de mim. Em outras palavras, eu descubro dentro de mim características, desejos e inclinações, que eu nem sabia que existiam, porque eles são espirituais e provêm dos quatro mundos impuros de ABYA. Eles residem acima da compreensão “bestial” do nosso mundo, e, portanto, esta já é uma subida.

Aqui, o princípio, “Um contra o outro”, age. Aspirando ao bem, eu descubro o mal, repetidamente. Assim ocorre por algum tempo!

Se eu não mantenho a posição e paro, tudo desaparece. E se eu não quiser parar, então eu me volto ao grupo, aos estudos, ao Criador, recorrendo a todos os meios que irão me ajudar a me manter no caminho, para incliná-lo favoravelmente.

Então, somente as coisas “maliciosas” e “erradas” são descobertas em mim, os defeitos que pareciam não existir até agora. Eu nunca havia sentido o que eram os 613 desejos quebrados e agora eles são aparentes. Se eu não tivesse avançado, eu teria ficado num nível que, no sentido espiritual, não é nem bom nem mau. Por outro lado, se a pessoa avança corretamente, ela se torna pior.

Mas ela trabalha em si mesma, ela entende o que está acontecendo consigo; ela se encontra numa luta interior, ajuda os outros, e eles a ajudam. É como se ela “esmagasse” o seu ego com uma pedra, o mastigasse e triturasse, de modo que seja possível “engolir”, “digeri-lo”. Durante estes tempos difíceis nós temos que ajudar e apoiar uns aos outros.

Imaginem um show de carros, aonde vocês vêm os brilhos e lampejos dos carros novos, todos brilhantes, limpos e belos: um verdadeiro prazer. E agora olhem para uma oficina de automóveis: o mau cheiro, o lixo, a bagunça… Tudo depende do que e onde eles vendem para você.

Assim, nesta fase, nós fazemos a maior parte do “trabalho sujo”. Para corrigir o Humano em mim: O que pode ser pior? Por outro lado, o que pode ser maior?

Da 4ª parte da Lição Diária de Cabalá 20/03/13, “Introdução ao Livro do Zohar