O Ponto Que Não Vai Trai-lo

Dr. Michael LaitmanInfelizmente, a pessoa geralmente define o esforço de forma incorreta e desperdiça muita energia fazendo coisas que não vão ajudá-la a avançar em direção à revelação espiritual e trazer contentamento ao Criador. Inicialmente, ela assume diferentes tarefas difíceis, mas, desta forma, luta apenas com moinhos de vento, contra inimigos imaginários e forças irreais que ficam em seu caminho.

Não é fácil revelar as forças que se interpõem no caminho de uma pessoa. Elas estão muito próximas da pessoa, e ela não consegue discerni-las, uma vez que pensa que elas são ela mesma. Elas se agarram tão fortemente a ela que lhe forçam a pensar como se fossem parte inseparável dela. Ela não consegue mantê-las longe, a fim de ver que são seus inimigos, como se diz, “Os inimigos do homem estão vivendo em sua própria casa”.

O principal é localizar os inimigos que estão em seu caminho para o Criador. Quando a pessoa começa a localizá-los e se aproxima dos verdadeiros discernimentos, percebe que tudo o que tem são seus inimigos. Ela não tem nada seu, nenhum aliado que possa confiar e contar com o apoio ao longo deste caminho ao confiar em sua ajuda de forma pura e correta. Isso porque todas as forças próximas são reveladas como opostas a ela.

Alguns de seus desejos, pensamentos e atributos riem dela agora; outros obstáculos intencionalmente colocam obstáculos ao longo do seu caminho, tornando o seu caminho futuro mais difícil, mas ao mesmo tempo se disfarçam tão engenhosamente que ela acredita que eles estão lhe fazendo um favor. Outros a enfraquecem, retendo-a, colocando pregos em suas rodas, inserindo assim uma força que age contra ela e faz com que ela pare. Assim, eles agem contra a pessoa sob diferentes máscaras, perturbando-a de diferentes maneiras, direta e indiretamente, engenhosamente e usando truques terríveis.

Por fim, a pessoa descobre que não pode contar com nenhum dos seus atributos, desejos e pensamentos. Portanto, com a ajuda de quem ela pode contar, com quem pode avançar? Acontece que não há ninguém! Somente se ela se voltar ao grupo desde o ponto no coração, ela vai ser capaz de avançar com os pensamentos e forças corretos, com os quais pode confiar no caminho.

Ela se volta ao grupo a partir do seu ponto no coração, pois é o único ponto puro nela, e tenta usá-lo apenas em relação aos amigos, percebendo que não há nada mais que possa investir neles, exceto esta centelha. Ela é cuidadosa para não recorrer a eles com todos os outros pensamentos e desejos, como uma pessoa que está doente e tem medo de infectar as pessoas que estão perto dela com seu vírus.

Então, ela recebe do ambiente tudo o que os outros têm, para avançar na direção certa. Por sua análise pessoal, ela já esclareceu que sua percepção real deve incluir apenas os atributos certos que foram recebidos do ambiente. Por isso, o ambiente se torna uma “sociedade funerária” que a ajuda a enterrar todos os seus pensamentos e desejos egoístas naturais, e recebe do ambiente, na verdade do Criador, novos atributos.

Ao acender a centelha em seu coração com a ajuda deles, ela começa a construir o seu vaso espiritual. Isso significa que ela absorve os poderes e desejos da sociedade, de todos os outros e, assim, alcança a sua primeira correção.

A menos que a pessoa mude totalmente todos os seus atributos para os atributos da sociedade, ela não será capaz de construir o vaso de sua alma. Nós devemos entender isso, pois sabemos que o desejo de receber não é refinado e não muda, mas a pessoa restringe seu desejo de receber inicial e sua forma natural.

Quando ela recebe um desejo do ambiente, ela adquire suas primeiras dez Sefirot, seus atributos de doação. Na medida em que se anula, ela recebe de Cima atributos que vêm no lugar dos que ela parou de usar. Assim, em vez de um vaso restringido, ela recebe um vaso novo.

Da 1ª parte da Lição Diária de Cabalá 11/02/13, Escritos do Baal HaSulam

Comente