Duas Condições Que Determinam Tudo

Dr. Michael LaitmanPergunta: Por que as instruções dadas a nós pelos Cabalistas são tão vagas? Por que nesse meio tempo não podemos compreender o que devemos fazer? Quais são as formas de se conectar com o grupo e inclinar a cabeça diante dos nossos amigos? Tudo é incerto. Provavelmente, deve ser assim, mas o que essa névoa esconde?

Resposta: Em primeiro lugar, não há qualquer intenção de tornar sua vida miserável. Você deve lembrar que a criação não tem outra maneira de se tornar semelhante ao Criador. Não mesmo!

Imagine que você é um chef profissional com bifes e recebeu um pedido de um bife especial. Para isso, você precisa de carne de uma raça especial de gado criada até certa idade que pastava num pasto numa altitude específica, bem como especiarias que são feitas de plantas em particular cultivadas numa área específica, etc. Você apresenta uma lista de requisitos, porque sabe que, caso contrário, não pode fazer o prato.

É semelhante aqui: a criatura não pode alcançar a semelhança com o Criador em outros termos. Eu diria que nem depende Dele. Uma vez que Ele decidiu que a criação tinha que se tornar semelhante a Ele, essas duas condições (criação e sua semelhança com o Criador) automaticamente ditam todo o resto.

Primeiro, o Criador conectou a criação a Ele mesmo, o que é descrito como “a criação do mundo”, onde a criação desapareceu. Depois, ele acrescentou um ponto único à criação, “algo a partir do nada”. Então, a criatura começou a crescer dentro da Luz, e deste ponto em diante tudo se desenvolveu sem a interferência ou participação do Criador.

Aqui, como um sistema binário, existem duas posições: de zero e mais de um zero. Em outras palavras, o Criador e algo que se destaca do Criador. A criatura que é diferente, externa, e oposta a Ele é chamada de “criação”, que foi feita como “algo a partir do nada”.

Tudo o resto está se desenvolvendo por si só. É por isso que se diz: “O fim da ação está incorporado no pensamento original”. Além dessas condições originais, o Criador não precisa de nada. Ele criou o desejo de receber; o resto decorre da oposição entre a Luz e o vaso, a força doadora e o desejo de receber, o Criador e a criação, ou seja, um ponto que, em essência, é um pouco diferente da Luz. Estas condições são suficientes.

Você pergunta: “Por que o Criador torna nossa vida tão miserável? Ele não pode mudar nada?”. A própria questão é incorreta, uma vez que ainda não estamos no nível que nos permite ver o quadro inteiro e, assim, justificar o Criador. No entanto, mesmo o nosso minúsculo conhecimento demonstra que uma via alternativa é impossível. Existe amor e doação; qualquer coisa que seja oposto a estas noções só pode chegar à semelhança com Ele de uma maneira. Isto se aplica a todos os tempos e circunstâncias, desde o início da criação até o fim da correção. Nesse ponto, você verá que tudo é perfeito e nada acontece “acidentalmente”. Até agora, nós ainda somos muito pequenos e imaturos, estamos espremidos no nosso nicho e sequer começamos a seguir o caminho que acabará por permitir que percebamos estas coisas.

Parece-nos que o mundo é enorme e um pouco assustador para nós. Todo o universo, todas as nossas propriedades e problemas, tudo o que lhe preenche agora é apenas uma pequena partícula do mundo real. Mesmo que nós meçamos este reino em quilômetros e quilogramas, do ponto de vista da verdadeira realidade, ele simplesmente não existe. Ainda assim, mesmo deste mundo, que é uma parte divergente de “algo a partir do nada”, nós podemos começar a nossa jornada. É muito desejável acelerar a nossa velocidade, a fim de cobrir este caminho por conta própria.

Portanto, existem duas forças, dois detalhes de percepção: o Criador e a criação que é um pouco diferente Dele. Estes dois detalhes determinam tudo o que existe. É por isso que hoje em dia você não pode receber nada, exceto o que você já está recebendo. Pensamento positivo não funciona aqui.

No instante em que a criação foi feita, tão logo “algo a partir de algo” criou “algo a partir do nada”, tudo ficou subordinado à lei rígida, incluindo todos os “casos” de nossa liberdade de escolha. Tudo está incluído na lei, embora cortinas de ocultação escondam esse direito de nós. Na verdade, a névoa é ilusória. Não há mistério aqui. A névoa que envolve nossa consciência é puramente psicológica e se destina a nos “calibrar” corretamente.

Da 4ª parte da Lição Diária de Cabalá 31/01/13, “Um Discurso para a Conclusão do Zohar

Comente