A Rápida Revelação De Uma Mentira Leva À Verdade

Dr. Michael LaitmanRabash, Carta 16: Assim, podemos ver que, para sermos recompensados com Lishma (por Seu Nome), primeiro precisamos preparar o maior Lo Lishma (não em Seu Nome), e daí podemos alcançar Lishma. Da mesma forma, Lo Lishma é chamado de “mentira” e Lishma é chamado de “verdade”.

Quando a mentira é pequena e as Mitzvot e as boas ações são poucas, ele tem uma pequena Lo Lishma, e então não pode ver a verdade. Assim, nesse estado, ele diz que está andando no caminho bom e verdadeiro, ou seja, trabalhando em Lishma.

Mas quando se engaja na Torá todo o dia e toda a noite em Lo Lishma, ele pode ver a verdade, uma vez que pelo acúmulo de mentiras, a mentira aumenta e ele vê que está realmente andando num caminho falso.

E então ele começa a corrigir suas ações. Em outras palavras, ele sente que tudo o que faz é apenas Lo Lishma. A partir deste ponto, ele passa para o caminho da verdade, para Lishma.

Se a pessoa faz um pequeno esforço, então por suas ações menores ela atrai um pouco a Luz Circundante e por isso suas ações não se acumulam num curto espaço de tempo em um só lugar, de tal forma que a Luz que é atraída por elas pode iluminar a verdade e mostrar à pessoa o estado que ela realmente se encontra.

Quando a Luz acende numa intensidade baixa, a pessoa não vê a diferença entre ela e a Luz. Ela adiciona um pouco de cor à sua vida, algum gosto, alguma compreensão e sentimento, mas a Luz não é poderosa o suficiente para que ela possa ver como seus atributos são opostos à Luz.

Como as “quatro fases da Luz Direta”, é impossível ver nossa oposição à Luz até a quarta fase. A gente só vê isso na última fase, onde a criatura se restringe, uma ação que é oposta à sua natureza, e os resultados do estado falso que ela revelou.

Uma grande quantidade de trabalho do grupo é necessária para pressionar a pessoa e motivá-la, para não deixá-la se acalmar, evocando inveja, cobiça e honra nela, e, assim, forçando-a a fazer o que tem que fazer. Ela precisa executar tão frequentemente e tão intensamente quanto possíveis certas ações chamadas de “boas obras” que trazem alegria ao Criador.

Aqui ela precisa trabalhar com a mentira e a verdade, esclarecendo o que realmente são boas ações, o que significa dar alegria ao Criador, e exatamente o que o Criador é. Quando ela esclarece todas essas questões, a pessoa gradualmente avança para o ponto crítico, através do qual passa de Lo Lishma (não para o Seu nome) para Lishma (para Seu nome). Este ponto é chamado de Machsom (barreira), a barreira do mundo superior. Assim, com a ajuda da Luz, a pessoa sai do estado de morte e chega à vida.

Tudo isto é conseguido graças ao grupo pressionando todos os seus membros. A menos que a pessoa sinta a pressão do grupo, ela não será capaz de fazer nada já que a Luz só chega até nós através do grupo.

Da Preparação a Lição Diária de Cabalá 10/02/13

Comente