Você Se Torna Paciente Conforme É Paciente

Dr. Michael LaitmanPergunta: Por um lado, nós precisamos do eterno fogo interno, e por outro lado, é preciso paciência. Como podemos combinar estas duas coisas?

Resposta: Você se torna paciente conforme você é paciente. É impossível adquirir este atributo de outra maneira. Eu passei por diferentes momentos ao lado do meu professor, o Rabash, e às vezes eu simplesmente estava ardendo impaciente. No final, não é que eu me acostumei com as coisas, já que não há hábito na espiritualidade, mas eu simplesmente recebi o reconhecimento do meu estado.

Esta é a abordagem da “submissão”, que é essencial. Se o Criador é bom e benevolente para o bom e para o mau, e de acordo com Sua percepção já estamos no fim da correção, então tudo o que acontece é apenas com relação a mim, nos meus sentimentos. Se tudo depende apenas do desejo, dos meus vasos, isso significa que toda a minha correção está em aceitar a Providência superior corretamente, o meu estado atual.

Se o meu estado muda e se torna como o meu estado no final da correção, eu vou ver um mundo diferente? Eu vou ver as mesmas caras ao meu redor? O Baal HaSulam, que estava no fim da correção, não via o mesmo mundo que nós, com todas as atrocidades nele? Mas ele percebia o mundo como bem absoluto e, ao mesmo tempo, ele se vestia em nossos desejos e sentia como nós percebemos o mundo de forma diferente.

Ser paciente significa que você entende que o mundo já está corrigido, que tudo está corrigido, mas ainda há níveis de correção que aqueles que veem a necessidade delas têm que corrigir. No final, você vai receber este entendimento. É impossível ignorar os níveis e atingir isso diretamente. Você só consegue ajudar a si mesmo ao tentar estabelecer o ambiente para si mesmo, e isso é tudo.

Você não pode ter quaisquer reclamações contra o Criador, já que desde o início Ele criou tudo numa forma finita correta, no fim da correção. Mas a criatura tem que desenvolver os vasos em si, de modo que possa atingir e reconhecer toda essa bondade. É impossível dar-lhe como um presente, uma vez que assim a criatura não vai sentir esse estado infinito.

A fim de fazer isso a pessoa tem que passar pelo estado de “reconhecimento do mal”, já que só pode chegar ao reconhecimento da bondade através desse estado. Isto significa que primeiro deve haver escuridão, ocultação, “reconhecimento do mal” deste estado. Isso não é ruim, porque o seu ego sofre como resultado, mas porque nele não há nenhuma conexão com os outros, não há doação.

Da 1ª parte da Lição Diária de Cabalá 02/01/13, “A Introdução ao Estudo das Dez Sefirot

Comente