Um Desejo, Um Ponto E Luz

Baal HaSulam, Introdução ao Livro do Zohar, Artigo 66: tenha em mente que em tudo há internalidade e externalidade. No mundo em geral, Israel, os descendentes de Abraão, Isaac e Jacó, são considerados a internalidade do mundo.

“Israel” são aqueles que têm uma inclinação para as três linhas, para a doação. Essas três linhas simbolizam Abraão, Isaac e Jacó, e Israel aspira integrá-las para que a força da doação e a força da recepção se conectem e cheguem à adesão com o Criador na linha do meio.

Afinal, existem apenas essas duas forças na realidade — a força da recepção e a força da doação A primeira refere-se ao ser criado e a segunda ao Criador.

Se a força de doação está também no ser criado, uma faísca ou um ponto no desejo de receber, então por isso o ser criado pode construir a linha média. O desejo é a linha esquerda e o ponto no desejo, a faísca da Masach (tela), antes da quebra, é a linha direita, e a Luz que foi convocada para operar em soldá-las fornece a linha média, acima da razão, doação acima da recepção.

Precisamos, assim, do desejo e o ponto nele (●) e também da tensão (∆), entre eles, devido a que uma pessoa se sente mal. Então, seu ponto recebe um impulso de se familiarizar com o Criador. E, nesse caso, todos os seus desejos se tornam um meio que ajuda o ponto no coração a alcançar o Criador.

Por isso a Luz inicialmente, ao descender, criou um desejo tão poderoso quanto si própria. Agora, quando o ser criado usa esse desejo, ele pode alcançar o Criador e a ascender a Ele.

“Abraão” é o ponto de doação, e quando uma pessoa o usa corretamente e olha o desejo a partir dele, ela é chamado de “Isaac”. E, em seguida, há a combinação deles, “Jacob,” a linha média. Precisamos destes três componentes.

Pergunta: Se a Luz e o desejo têm o mesmo poder, de onde vem a diferença (∆), entre eles?

Resposta: A centelha de Luz, ou o Criador, entra no desejo e evoca nele um sentimento de outra natureza, de outra essência.

Então a pessoa se sente mal por causa da sua dessemelhança com esta natureza no uso de seu desejo.

A verdade é que nenhum de nós sabe o que é o desejo de receber, mas todo mundo conhece seus benefícios. Por isso não falamos sobre o desejo, mas sobre a intenção a fim de receber; vivemos na intenção egoísta e não no desejo, e ele não é sentido em si.

Toda nossa percepção, todo o nosso programa, baseia-se apenas em nossa intenção, em nosso egocentrismo. A diferença não é entre dois desejos, o desejo de receber e o desejo de doar, mas entre duas características básicas.

Eu as comparo não de acordo com o tamanho, mas de acordo com uma diferença qualitativa. Na verdade, eu sinto a diferença, a distância entre o Criador e o ser criado. Isso é o que me empurra para iniciar o caminho para o nível do Criador, a uma equivalência de forma com Ele. Caso contrário eu não iria receber tal vontade.

Então, eu subo os níveis de semelhança, os níveis através dos quais a pessoa traz a si mesma a uma equivalência de forma com o Criador.

Há pessoas em quem há três linhas e outras não. Na verdade, que elas existem em todo mundo visto que, eventualmente, todo mundo tem que alcançar o mesmo estado. A ruptura foi total, a integração foi total, e a correção também tem que ser total.

Ainda assim, as três linhas não são expressas em todos ao mesmo tempo. No desejo geral, há uma parte superior — GE, ou seja, aqueles em quem o ponto no coração (•) já aumentou e foi revelado, e há uma parte inferior, AHP, aqueles em quem ele ainda está escondido abaixo.

Assim, aqueles acima são atraídos para a unidade (Yechud), ao Criador, e por isso eles são chamados de “Judeus” (Yechudi). Abaixo, as pessoas têm uma quantidade enorme de desejos, cada uma aparentemente vivendo em seu mundo — e, portanto, elas são chamadas “as nações do mundo.”

Acima, todo mundo quer se conectar a um ponto pelo qual se chega ao Criador e abaixo, este ponto ainda não foi revelado e ainda não significa nada, e assim os desejos diferentes atraem as pessoas em direções diferentes.

Mas “o individual e o geral são iguais”, e cada pessoa é um mundo pequeno, assim este sistema, essa estrutura, já existe em cada um. Mesmo se o ponto é revelado no coração de uma pessoa, há também muitos outros desejos, embora eles possam estar ocultos no momento esperando pela sua vez. Todo mundo tem desejos que entretanto não acompanham o ponto no coração.

Ainda, as pessoas que receberam a base para as três linhas desde Cima têm que sentir que são responsáveis pela a correção do mundo.

Da 1ª parte da lição diária de Cabalá 29/01/13, “O Discurso para a Conclusão do Zohar”.

Comente