O Que Eu Recebo Depende De Mim

Dr. Michael LaitmanRabash, Carta # 29: Mas a pessoa não tem necessidade de trazer os resíduos de fora, como é o caso com a fertilização de uma árvore. Deve converter as impurezas do mundo em revelação, ou seja, dentro do seu sentimento.

Pergunta: O que é “resíduo” para mim e o que é “adubo”?

Resposta: Depende da sua escolha. Você recebe capacidade de decidir se prefere comer a partir de resíduos, ou coisas boas a partir de coisas ruins? E você sempre escolhe entre duas possibilidades, mas gradualmente aponta a escala no sentido da doação. Você não tem a força para anular completamente a recepção, mas de qualquer forma, você avança na direção certa.

Em seu vaso (Kli) há sempre três partes. Na parte superior você pode trabalha para o benefício da doação, na parte média a restrição governa, e na parte inferior é algo que você quer para si mesmo.

What I Get Depends On Me

A linha direita não pode existir sem a linha esquerda, e a linha esquerda sem a linha direita. Tudo precisa ser diversificado, até que no Gmar Tikkun (a correção final), todo o mal irá agir como bem.

Pergunta: Isto significa que se os amigos criam um obstáculo para mim, eles me dão “adubo”?

Resposta: Depende o que significa para você “obstáculo”. Se os amigos me mostram o quanto anseiam pelo reconhecimento da grandeza do Criador, pelo nível superior, pela adesão, pelo Gmar Tikkun, pela unidade e conexão entre eles, pela revelação da Luz, então, para mim, isso pode ser um obstáculo, uma vez que esta abordagem é odiada pelo ego, mas também pode ser uma motivação que empurra para frente.

A parte superior mostra ao inferior a Luz, Sua doação, e o inferior, ao sentir isso, deve esclarecer se para ele isso é alimento ou resíduo. Está escrito, “Retos são os caminhos do Senhor, neles o justo anda, mas os pecadores tropeçam neles”. Eu posso decidir que a doação para mim é especificamente a Luz que me puxa para frente. Eu quero me aderir a ela e superar a mim mesmo para fazer isso, mesmo que não seja simples recebê-la como alimento. Nesse caso, eu sou chamado de “justo”. Mas se eu não quiser, eu sou chamado de “pecador”.

What I Get Depends On Me

Desta forma, eu me examino de acordo com o princípio “a pessoa sempre vai ver a si mesma como metade justa e metade malvada”. O superior me dá a Luz e eu posso senti-la como Luz ou escuridão.

Por exemplo, hoje na lição havia muitas pessoas sentadas ali, de mau humor. E eu fiquei muito feliz com isso, porque é assim que a doença é descoberta. É muito bom. Agora o que resta é realizar o tratamento. Mas elas não pensam assim. Elas se sentem doentes.

Ou seja, a pergunta é: tudo depende de como a pessoa decodifica o que recebe. Não há mal no mundo, mas tudo depende de como nós interpretamos o que acontece. Para mim, a Luz, a força da vida, pode ser alimento ou resíduos. A árvore, naturalmente, recebe adubo dos animais, como uma coisa boa, e nós temos que escolher, porque desde o início o “adubo” que chega do superior não parece bom para nós. Essa coisa não parece boa para mim na medida em que parece “excremento”, e não um tesouro…

Da 1ª parte da Lição Diária de Cabalá 25/01/13, Escritos do Rabash

Comente