Não Um Espectador, Mas Um Participante

Dr. Michael LaitmanDurante a fase de preparação, a pessoa que estuda Cabalá ainda não pode usá-la como uma ciência exata e agir de acordo com os fatos. Nesta fase, eu me percebo no grupo, no estudo, na conexão com o professor, na conexão com o Criador, e através das fontes. Eu estudo as fontes Cabalísticas autênticas que estão além da Machsom (barreira), embora ainda não tenha transcendido a mesma. Aos meus olhos, o grupo também está além da Machsom, e especialmente o professor, assim como todos os outros Cabalistas e o Criador, a força universal superior.

Só que eu, miseravelmente, estou aqui embaixo querendo ser incorporado em todos eles. Eu sou incorporado neles através do grupo que tem um guia. Ele não guia ninguém pessoalmente; ele pertence a todos. Ele ensina o grupo de acordo com os livros Cabalísticos, que também foram escritos num grupo, e todos os amigos juntos querem descobrir o Criador na unidade geral.

Esta é a diferença entre a sabedoria da Cabalá e outras sabedorias: agora eu sou como uma criança tentando se comportar como um adulto, com a ajuda de diferentes “brinquedos” que seus pais lhe deram. Se eu fizer isso, eu cresço corretamente; eu tenho um grupo, livros, e um professor – tudo o que eu preciso. Se eu usá-los da maneira que deveria, vou avançar.

Um dos meios mais eficazes é o nosso workshop. Nós aproveitamos o máximo não a sabedoria, mas a conexão; um workshop é um ato de conexão.

Eu ouço o que os amigos dizem, e no meu coração e alma anseio estar com eles, participar de sua unidade, sentir o que eles sentem, pensar o que eles pensam. Eu estou incorporado neles, e com isso começo a aceitar as condições necessárias para a Luz superior.

Nós somos dez pessoas sentadas juntas e entre elas eu descubro uma sensação de calor comum. Mesmo que eu as veja numa TV ou numa tela de computador, eu estou, de fato, olhando para a conexão, a cooperação mútua entre elas. Eu observo e quero estar dentro.

Então eu começo a perceber a Luz que Reforma, a Luz Circundante, que desenvolve a minha alma.

Not A Spectator But A Participant

É por isso que é tão importante ver o grupo e sentir que estou em seu centro. Eu me uno com os amigos; eu quero reuni-los, abraçar todos eles, e sentir um único desejo interior, um pensamento interior, em mente e coração.

Depois de vários exercícios, e começo a me sentir muito mais perto dos amigos, a tal ponto que através deles eu percebo espiritualidade.

Não subestimem os workshops, porque eles estão muito próximos da unidade. Ela virá por vezes, mais e mais, e não apenas na forma de inspiração, mas como uma experiência espiritual a partir da qual a iluminação da Luz Circundante vai se tornar a Luz real.

Da 4ª parte da Lição Diária de Cabalá 01/01/13, “Corpo e Alma”

Comente