Na Vanguarda Do Ataque Espiritual

Dr. Michael LaitmanNossa correção depende de recebermos um traje novo chamado Masach (tela), ou uma intenção, porque nós fomos criados a partir da matéria do desejo de receber, que é totalmente oposto ao Criador. Isso nos permite usar o nosso desejo de receber a fim de doar, da mesma forma que o Criador nos trata, já que a adesão só é possível de acordo com a equivalência de forma.

Portanto, todo o nosso trabalho é primeiro descobrir o quanto somos opostos ao Criador e, em seguida, conforme a nossa tristeza devido a esta oposição, pedir a correção, a equivalência de forma. Na verdade, isso é tudo o que devemos fazer.

Portanto, por que temos que atravessar um caminho tão longo. Não é possível pedir que o Criador nos torne completos, de imediato? Na verdade, o Criador criou tudo completo. Nós estamos no mundo de Ein Sof (Infinito), identificando-nos com Ele, igual a Ele, e na adesão absoluta com o Criador, e só o nosso reconhecimento deste estado está faltando. Este reconhecimento determina a nossa independência.

A adesão foi criada pelo Criador, mas da nossa parte, nós só temos que ser como uma gota de sêmen que está aderida ao útero da mãe, mas que ainda não se tornou um ser humano. Ela ainda não sente o seu “eu”, não sente que existe como um ser independente. A fim de descobrir a sua existência, esta gota de sêmen deve se afastar do Criador em seu sentimento de existência independente à distância em que estavam fortemente aderidas.

Por um lado, do ponto de vista da natureza dessa gota, ela vai se afastar cada vez mais do Criador de acordo com o tamanho do seu desejo até que todo o desejo se contraia em um ponto, um zero, em “nada” e desapareça totalmente. No entanto, por outro lado, o caminho de volta será revelado a nós: a necessidade de superar esta grande distância devido às diferenças na nossa natureza e para alcançar a equivalência de forma.

Quando nós chegamos à igualdade e conexão acima da distância entre nós, nós alcançamos a forma do Criador, entendemos e sentimos a Ele, Seu plano, e todo este programa. É por isso que, por um lado, nos tornamos independentes, e por outro lado, nós aderimos a Ele de acordo com o nosso próprio desejo e livre-arbítrio.

Assim, nós descobrimos toda a criação. Neste processo, isso se torna cada vez mais claro para nós. É impossível fazer isso tudo de uma só vez, já que o coração deve entender este processo e não só a mente fria.

A revelação só é possível onde há ocultação. Quanto mais escura ela for, mais a Luz que chega pode iluminar todas as suas cavernas escuras, todas as formas opostas da escuridão. Então, como resultado da conexão de todas as formas diretas e inversas, nasce o reconhecimento, a realização, como está escrito: “A vantagem da Luz é reconhecida apenas a partir da escuridão”.

O nosso mundo é construído na mesma maneira. Se a pessoa não compreende determinado fenômeno, ela pode passar por ele e nem mesmo nota-lo. A fim de descobrir um fenômeno novo e natural, a pessoa deve estudar muito e estar na vanguarda, na linha de frente das descobertas científicas. Ela deve saber tudo o que nos é revelado e, de repente, ver o que está além dos limites do que é alcançado, o que significa descobrir algo novo. A fim de fazer isso, ela precisa atingir e reconhecer todos os vasos que alcançou até agora.

As mesmas regras atuam na sabedoria Cabalística. As pessoas que estão prontas para estar na escuridão, para alcançar a espiritualidade, atraem sobre si a Luz para a escuridão, e então, no espaço entre elas, começam a descobrir a realização espiritual, a equivalência com o Criador e a adesão com Ele.

Da 1ª parte da Lição Diária de Cabalá 03/01/13, “A Introdução ao Estudo das Dez Sefirot

Comente