Agradecimento Por Um Momento Que Vale A Eternidade

Dr. Michael LaitmanO único problema em cada estado é que neste mundo não podemos conectar dois opostos em um. A Física Quântica moderna também lida com o fato de que a luz é tanto uma onda como uma partícula. Embora uma onda e uma partícula não sejam opostas perfeitas, os físicos não conseguem entender como elas podem estar integradas num único fenômeno. Eles não ainda conseguem ver um fenômeno onde dois opostos totais se conectam simultaneamente, como acontece no mundo espiritual, mas eles já veem o início deste fenômeno.

A pessoa que estuda a Cabalá enfrenta um problema semelhante, não no nível da natureza inanimada, não como na física, mas sim no nível dos pensamentos, intenções e sentimentos: no quarto nível, em comparação com o primeiro nível da natureza inanimada. Os primeiros níveis são a natureza inanimada, vegetal e a animal, e só depois há o nível humano, que determina o que está na mente e no coração de uma pessoa, os pensamentos e sentimentos, o poder e o discernimento.

Este dualismo traz muitos problemas. Por um lado, eu tenho que ver a verdade e eu a vejo com meus próprios olhos: todo este mundo corporal é corrupto, está numa crise, e eu também estou numa crise. Por outro lado, se eu me corrigir, não vou ter mais nada para corrigir e, então, não vou ter nada para fazer, já que o mundo inteiro parecerá corrigido e certamente o estará. Eu vou vê-lo desta forma, uma vez que “a pessoa julga de acordo com as próprias falhas”.

Por enquanto, não há nenhum dualismo nisso. O dualismo está no fato de que, por um lado, eu tenho que doar ao mundo inteiro e me preocupar se serei capaz de doar a todos. Por outro lado, eu tenho que entender que estou fazendo tudo isso para mim e que este mundo não precisa disso. Todas as corrupções que vejo só me mostram onde eu tenho que trabalhar, e elas foram feitas especialmente para mim.

Há a mesma contradição aqui como na história de Abraão, a quem foi dito que ele tinha que sacrificar seu filho Isaque, mas que, através dele, ele iria multiplicar — estas são duas coisas contraditórias. É assim como devemos ver nosso caminho: por um lado, nos preocupamos corrigindo tudo no mundo exterior, por outro lado, não há nada para se preocupar, uma vez que toda a realidade já está em estado de repouso absoluto e corrigida.

A pessoa deve ser grata ao Criador pelo momento na vida em que foi premiada com algum contato com a força superior. A questão é como podemos entender isso. Mas se ela esteve em contato com o Criador, mesmo por um momento, não é apenas um momento qualquer. Afinal, ela poderia penetrar naquele momento e entrar no mundo superior através dele, o mundo eterno, onde não há tempo, e, portanto, cada momento é uma eternidade.

Portanto, se a pessoa consegue realmente ser grata por aquele momento, ela já está no final da correção, ou pelo menos corrigiu seu nível atual.

Esta é a razão porque é difícil para nós estar nos estados espirituais e aceitá-los, e isso é de propósito. Todo o nosso trabalho é “acima da razão”; nós temos que aceitar as condições espirituais como “um boi para a carga e um burro para o fardo”. Embora não os entendamos, um “hábito se torna uma segunda natureza”, a Luz gradualmente nos influencia e constrói novos desejos em nós. Assim, nós chegaremos a um estado onde todos os opostos se conectarão em um. Então, através deles, nós seremos capazes de entrar no mundo espiritual.

Por um lado, o nosso ego nos separa cada vez mais dos outros, já que “aquele que é maior do que seu amigo, seu desejo é ainda maior”. A distância entre os desejos permanece, mas nós trabalhamos nisso, de modo que pelas intenções nos conectaremos num todo. Acontece que todo mundo está infinitamente separado dos outros, mas em nossas intenções, nós estamos num ponto comum e o Criador está nele.

Da Preparação para a Lição Diária de Cabalá 14/01/13

Comente