A Fórmula Da Mudança

Dr. Michael LaitmanPergunta: Como parte do meu trabalho, eu tenho estado em contato com vários professores recentemente e entre outras coisas nós falamos sobre Cabalá. Eu devo dizer que eles compreendam os princípios, mas não acreditam.

Resposta: É verdade. Eles têm uma abordagem racional. “Nós temos estudado tanto sobre o nosso mundo por meio de diferentes ciências que a imagem é clara no todo. Mas agora esse cara, que não parece “louco”, vem e começa a falar sobre algum conceito que não temos certeza de onde ele o traz. Ele diz que esta é a base de todas as ciências e liga tudo à Luzes e vasos”.

“Nós não sabemos nada sobre isso. Nós não vemos qualquer evidência daquilo que ele nos fala. Suas explicações podem parecer muito lógicas, mas ele estabelece sua sabedoria numa suposição virtual. ‘Vamos supor que seja assim’, diz ele, e nesta hipótese ele baseia toda uma filosofia perfeita”.

“Mas por que deveríamos aceitá-la como uma ciência, se de acordo com os nossos padrões, não é uma ciência? A ciência é o que pode ser estudado e pensado. Ele está dizendo que a sua ciência requer apenas viver de acordo com ela e mudar internamente. Nunca ouvi falar de nada parecido. O que significa “mudar a natureza humana”? Nós temos uma cultura e educação, ensinamos as pessoas a ser gentis, empáticas, o que poderia ser melhor? O que isso tem a ver com a ciência?”.

Os cientistas não podem reconhecer a relatividade da sua percepção. Eles não entendem que as mudanças em uma pessoa mudam a sua realidade, uma vez que tudo é criado por respostas internas.

A sabedoria da Cabalá explica esta exata conexão mútua; conforme eu mudo, o mundo que eu sinto muda. Esta é a fórmula fundamental que tem um coeficiente fixo e um parâmetro de mudança que reflete os vasos, meus desejos, minha sensibilidade, minhas intenções, meus pensamentos, etc; eles mudam e, em seguida, o mundo muda.

The Formula Of Change

X sou eu, K é o coeficiente fixo e Y é o mundo. Eu falo para aqueles que estão dispostos a ouvir isso.

Mas os cientistas não estão prontos para isso. Eles carecem de um novo desejo que os tire deste mundo. Se eles não se desenvolveram para chegar lá, eles não querem ouvir. A pessoa tem que ser sensível não só aos fenômenos do mundo, mas também aos fenômenos do mundo espiritual.

Pergunta: Portanto, o que isso significa? Que as pessoas inteligentes, estudiosas, não podem nos entender?

Resposta: Na verdade, elas são mais “resistentes”, uma vez que têm certeza que já têm uma base sólida.

Pergunta: Portanto, a quem podemos nos voltar?

Resposta: Há uma fábula Cabalística sobre um homem chamado Ptachiya que veio para a cidade e levou todas as pessoas “vazias” para o deserto. Afinal, se a nova pergunta sobre o sabor da vida é evocada numa pessoa, ela sente que está infeliz e vazia.

No entanto, se a pessoa não sente isso, se ela não tem nenhum vaso, nenhum desejo que coincida com ele, isso significa que ela não chegou a certo nível de percepção.

Nós não paramos de disseminar, é claro, mas apenas a pessoa que tem um ponto no coração pode ouvir a mensagem da sabedoria da Cabalá. A alternativa é sentir que você é um animal castigado que não tem para onde fugir dos golpes intermináveis ​​que o acertam. Assim, ele estará pronto para nos seguir, apenas para se livrar dos problemas.

Da 4ª parte da Lição Diária de Cabalá 02/01/13, “Corpo e Alma”

Comente