A Força De Um Grupo: Altruísmo Sustentável

Dr. Michael LaitmanNas notícias (da National Science Foundation): “Bactérias resistentes às drogas são um problema em muitos ambientes, especialmente instituições de saúde. Enquanto as formas em que essas células se tornam resistentes são compreendidas no nível celular, até agora, as estratégias de sobrevivência das bactérias ao nível da população ainda não está claro.

“Um novo estudo realizado por James Collins e seus colegas da Universidade de Boston e do Wyss Institute for Biologically Inspired Engineering na Universidade de Harvard revela que uma porcentagem surpreendentemente pequena de bactérias realmente se torna ‘supermutantes’ altamente resistentes. De fato, a maior parte das bactérias em estudo sobreviveu sem ser resistente à dose eficaz de antibióticos no ambiente. Isto é, os tipos individuais de bactérias não eram tão resistentes aos antibióticos, como era toda a população.

“Outras experiências mostraram que, além de serem resistentes às drogas, as raras supermutantes produziram níveis elevados de indol, uma molécula de sinalização produzida por bactérias saudáveis. O indol também pode promover a sobrevivência em ambientes hostis. Quando as bactérias experimentam o stress antibiótico, as células mortas e qu estão morrendo param de produzir indol, o que provavelmente contribui para a morte da célula. Ao superproduzir a substância química, as supermutantes podem proteger as bactérias mais vulneráveis, fazendo o suficiente para suportar uma população maior de células.

“No entanto, esta produção de indol custa caro para as supermutantes, que crescem mais lentamente do que as mutantes que não produzem. ‘Este comportamento altruísta apoia um crescente corpo de evidências que sugere que organismos unicelulares atuam como comunidades. Nós achamos que o estudo do comportamento desses níveis da população irá fornecer uma nova e importante compreensão da dinâmica da evolução’, explicou Collins.

“Estes resultados confirmam as observações feitas por profissionais de saúde em todos os lugares: o tratamento de infecções bacterianas resistentes às drogas é mais complicado e desafiador do que qualquer pensamento. De acordo com Collins, ‘as comunidades bacterianas têm um extenso arsenal de técnicas para lidar com o ataque de antibióticos. Ao compreender as diversas estratégias que elas usam para sobreviver, podemos desenvolver tratamentos médicos mais eficazes’”.

Meu comentário: Nada vai ajudar as pessoas contra as doenças, pois estas são o resultado da nossa separação. Até que nós comecemos a agir como bactérias, juntos, não vamos superá-las. E é assim em nosso mundo com tudo. A unidade em todos os níveis é a tendência de desenvolvimento de todas as partes da natureza, e se nós não concordamos com isso, perdemos em todas as áreas de nossas vidas. Os antibióticos não vão ajudar! Para ajudar a nossa saúde, nós precisamos nos tornar mais unidos do que as bactérias. Afinal, qualquer manifestação do mal se destina a nos ajudar a subir acima de nós mesmos.

Comente