Por Que Os Nossos Desejos Atrasam A Vida?

Dr. Michael LaitmanPergunta: Por que é nós falamos sobre o fim da sociedade consumista? Por que a era do consumismo tem que chegar ao fim?

Resposta: Há duas razões:

1. A primeira razão é externa: nós estamos ficando sem recursos naturais.

2. A segunda razão é interna e é a principal razão: nosso desejo está mudando – a base da natureza humana.

Nós podemos analisar as teorias econômicas, propaganda e publicidade, podemos inventar truques e tecnologias diferentes, como os filmes tridimensionais, mas tudo isso não vai ajudar. A pessoa vai simplesmente perder o interesse nisso, como um gato que não se preocupa com a TV onde está deitado. Em vez disso, vamos simplesmente dar mais atenção à sociedade, para aqueles que nos rodeiam. Tudo isto é porque o desejo está mudando. Não há nada que possamos fazer sobre isso, já que são os desejos que motivam uma pessoa.

Isto, é claro, não irá acontecer de uma só vez. Hoje ainda é possível promover o consumismo por diferentes “ofertas especiais”. Ainda assim, em comparação com o passado, as coisas estão mudando. A taxa de suicídio e divórcio está aumentando, e a decepção e o desespero estão se espalhando. É, de fato, o início de uma nova tendência. Uma pessoa, é claro, ainda vai precisar de alimentos e outras necessidades básicas, mas o problema não está nessas coisas, mas nos desejos que estamos usando incorretamente.

De uma forma ou de outra, o desejo está mudando muito lentamente. A questão é porque ele atrasa as mudanças externas paralelas? Por que encontramos problemas como a crise se em vez disso podemos saltar para um novo nível através de uma rápida mudança no nosso desejo? Não é melhor para as pessoas mudar do consumismo para atividades mais sociais pelo seu próprio livre arbítrio? Por que elas ainda querem comprar como antes, embora o sistema anterior esteja entrando em colapso?

A razão é que é assim que elas vão reconhecer o mal, de modo que a situação atual vai deixar um gosto ruim. Caso contrário, elas vão encontrar um vaso, o desejo, por outra coisa. Elas têm que sentir que estão em desespero, que o mundo está cheio e, ao mesmo tempo, está vazio. Se os desejos anteriores simplesmente desaparecerem, a pessoa não vai aprender a lição com o passado e não vai entender o problema.

Portanto, o desejo está mudando muito mais lentamente do que as condições externas. Estas condições devem nos pressionar e gradualmente evocar a resposta certa.

Então, surge a educação integral, que explica que os desejos em excesso do nível animal, ou seja, as necessidades básicas e racionais, só podem ser atendidas no contexto das relações humanas. A atual crise é para mostrar à pessoa que ela só pode satisfazer as suas necessidades de uma nova forma integral. Por isso, seus desejos não são restritos, mas eles realmente melhoram, tornam-se atualizados, e sobem para um nível qualitativo mais elevado. Então, ela não vai se contentar com algo transitório e efémero, mas apenas com algo que seja mais emocionalmente significativo. A pessoa se desenvolve, torna-se sensível e quer desfrutar outras experiências, que estão mais perto da espiritualidade.

Por isso, é realmente nas relações pessoais, na família e na educação das crianças que a atual crise se revela mais intensamente.

Da 4ª parte da Lição Diária de Cabalá 13/12/12, “A Sabedoria da Cabalá e a Filosofia”

Comente