Por Que Dar Prazer A Um Pensamento?

Dr. Michael LaitmanPergunta: Para as pessoas religiosas as palavras “agradar ao Criador” ou “dar prazer a Ele” são compreendidas. Em termos da mente integral, o Criador é a natureza. Assim, as palavras “dar prazer à natureza” soam um pouco estranhas, como se você quisesse dar prazer à lei da gravidade.

Resposta: Imagine que a natureza é aquela mesma força que gera e desenvolve todos os organismos, todas as sensações, toda a inteligência e todas as coisas animadas e inanimadas, absolutamente tudo.

Muitas pessoas já entendem que a natureza é universal e que realmente tem tudo: também o intelecto oculto e os sentimentos escondidos. Nós precisamos revelá-los, convidá-los para um diálogo compartilhado. E você precisa desenvolvê-los até o estado onde sente todos esses atributos na natureza.

Pergunta: Será que a natureza existe como pessoa e será que ela desfruta?

Resposta: Não só a vida, mas o intelecto superior existe nela. Fale com um astrônomo, com os astrofísicos, e eles vão lhe dizer que todo o universo é intelecto, é pensamento. Isto é como eles sentem.

Pergunta: Mas por que eu deveria dar prazer a um pensamento?

Resposta: Você vai se sentir como parte dele e vai começar a entender que o desenvolvimento dos desejos e seus anseios pela doação absoluta, que é incondicional, é o que constitui o estado mais elevado.

Quando você doa, através de você passam todas as informações, toda a energia, todos os prazeres, todas as satisfações a todo o resto. Você está com o Criador, já que está no nível mais alto da natureza. Você entra em equivalência com ela.

Eu entendo que lhe faltam algumas expressões emocionais, mas elas virão gradualmente. Afinal, antes você já não sentia muitas coisas em sua vida, você as odiava, rejeitava, e depois você começou a senti-las gradualmente.

Comentário: Teoricamente, você pode entender os índios. Por exemplo, geralmente é mais fácil pensar que algum tipo de pessoa desfruta, e não uma lei da natureza que é difícil de entender.

Resposta: Por que não? A natureza é um campo; ela é universal.

E um indivíduo é algo concreto, com volume, com limites especificados. A natureza é algo que não tem limites. Não é nem mesmo o nosso universo, mas muito maior. Não temos palavras para descrevê-la.

E se uma pessoa inventa para si alguma força superior, ela realmente constrói a sua imagem, pois, afinal de contas, não consegue descrevê-la de outra maneira.

De KabTV de “Conversas com Michael Laitman” 03/11/12

Comente