Brigas Ou Conexão?

Dr. Michael LaitmanPergunta: Como podemos avaliar o estado em que o grupo se encontra, e vale a pena fazê-lo?

Resposta: Quando uma pessoa está triste, com raiva ou experimenta algumas emoções fortes, dizemos-lhe: “Relaxe, suba acima de si mesma”, e assim por diante, ou seja, nós sempre a invocamos para subir acima de suas emoções.

Nosso trabalho no grupo deve ser o tempo todo baseado em sempre ascendermos acima do nosso ego. Nós entendemos e apreciamos isso, porque é exatamente ele que nos empurra para frente e faz tudo o que é possível para nós, para que nos elevamos acima dele. Portanto, o ego é chamado de “ajuda contrária”. Isto é, todos os pensamentos, desejos e intenções que surgem dentro de nós a cada instante, tudo o que temos internamente, tudo que flui dentro de nós numa corrente incessante é necessário apenas para que superemos e “nademos” acima dela.

Quando uma pessoa entende e começa a trabalhar com isso, ela alcança a meta muito rapidamente. Isso está no grupo e também pessoalmente em cada um de nós. Assim, é no grupo que temos de tratar um ao outro dessa forma, também em relação ao estado geral do grupo, que inclui todos os tipos de discernimentos e tudo o que é possível.

Que discernimentos pode haver no grupo, se não subirmos acima de nós mesmos? Será que somos como vizinhos escandalosos num prédio que começam a investigar as relações, ou motoristas negligentes que discutem entre si?!

Nós precisamos subir acima, nos conectar, e depois esclarecer qual é o problema. E pode ser que isso nem seja um problema, mas, na verdade, uma ajuda especial que nos ajudou a conectar. Mas, sem conexão, não é um grupo, o discernimento Cabalístico, mas apenas uma discussão, uma condição mundana regular.

Portanto, nós devemos primeiro nos conectar. Para isso, uma terceira pessoa pode ser necessária, ou algum tipo de condição adicional, mas sem conexão nunca vamos esclarecer nada. Sempre haverá alguém correto e alguém culpado.

Eu falo de nossas relações no grupo, e não do trabalho de disseminação, como em todas as empresas há aqueles que entendem mais, os gerentes, e funcionários que são subordinados a eles. Num grupo, nós podemos resolver todos os problemas apenas a partir do ponto de vista da conexão e unidade.

Quando nos conectamos no ponto de unidade e o mantemos (já que esta é a principal coisa para nós, e o Criador intencionalmente organizou tudo para nós para que possamos atingir essa conexão e a mantenhamos), então vamos ver o que é mau, qual é o problema, e não passar por cima dele, mas tentar compreender sua essência.

Isso é necessário apenas para percebermos que a conexão resolve todos os problemas. “O amor cobre todos os pecados”. Ou seja, em princípio, nada tem que ser corrigido, porque todas as brigas e oposições são necessárias apenas para nos elevarmos acima delas e nos conectarmos. Não há mais nada nelas. Não há necessidade de recorrer a elas; de qualquer forma, você não vai encontrar nelas a verdade.

A propósito, é a mesma coisa numa família. Elevem-se acima de todos os problemas e se conectem! E o que acontece com o que era antes? Não havia nada; de qualquer forma, vocês não serão conseguirão ajudar. Cada um de nós é oposto ao outro e, mais importante, sempre diferente.

Qual a razão de você começar a questionar algo? O Criador deliberadamente organizou para você essas novas características conflitantes que não podem sequer ser imaginadas. Todas as nossas vidas são compostas por elas. Tudo o que vemos agora em torno de nós é como um filme onde apenas todas as nossos incompatibilidades nos são mostradas, das quais esta imagem do mundo é composta. Quando você começa a subir, você “nada” num plano completamente diferente: na unidade.

Da Convenção na Geórgia 06/11/12, Lição 2

Comente