Todo Mundo Terá Que Passar Pelo Exílio No Egito

Dr. Michael LaitmanPergunta: Qual é o estado do exílio no Egito com relação ao trabalho de uma pessoa no grupo?

Resposta: O estado do exílio no Egito não tem que durar um longo período, como pode parecer pela forma como é descrito, segundo o qual durou 210 anos e deveria durar 400 anos. Se avançarmos num bom ritmo, podemos processar e esclarecê-lo muito rapidamente.

Além disso, uma pessoa ou um grupo não tem de revelar todos os detalhes do processo descrito na Torá entrando em todos os detalhes da história. Isso é impossível, pois é algo imenso, com diferentes estados que só serão revelados plenamente no fim da correção.

Assim, o que nós passamos é alguma parte do estado geral do exílio, como é descrito em relação às almas, o que é suficiente para nós. Nós, no entanto, descobrimos apenas certa camada que é adequada às nossas almas.

Portanto, não há necessidade de pânico ao ler sobre o exílio no Egito e ver como cada golpe descrito lá se adapta ao que nós passamos. Não pense que tudo isso tem que acertar uma pessoa e que todos tem que passar por isso numa escala tão grande como o nosso ego mundial interpreta.

Na verdade, o exílio começa quando realmente queremos conectar e sentir as interrupções. É somente a partir desse momento que começa o exílio. Os primeiros “sete anos de saciedade” terminam, e os “sete anos de fome” começam. Nós começamos a senti-los de alguma forma. Nós só temos que fazer alguns esforços para descobrir a real necessidade exigida para receber a Torá.

A inclinação ao mal tem que ser revelada como um obstáculo que se coloca em nosso caminho, como uma “ajuda contra ele”, que devemos corrigir e anexar. A necessidade de trabalhar nas linhas direita e esquerda nos leva à revelação do Criador, à entrega da Torá, à linha média.

Da 1ª parte da Lição Diária de Cabalá 21/10/12, Escritos do Rabash

Comente