Uma Conversa Silenciosa Contínua

Dr. Michael LaitmanPergunta: A criação de um novo tipo de relação familiar é um processo que desenvolve gradualmente a conexão entre nós. Como isto começa?

Resposta: Tudo começa com o curso de educação integral. Ele oferece uma explicação de nossa natureza e nossa união com esclarecimentos sobre a rede geral que nos conecta, a liberdade de escolha, o nosso egoísmo perpetuamente crescente, e o sistema em que todos têm que ajudar um ao outro. Temos que aprender a ouvir nossos amigos, a fim de sermos inspirados por eles, admitirmos a importância da anulação pessoal e reconhecermos a importância da inclusão no outro. E a forma mais importante para avançarmos são os workshops, onde sentamos juntos, dois de nós (face-a-face) ou em pequenos grupos, e discutirmos coisas tentando sentir o processo e descobrir formas de construí-lo.

Há certo processo que define a estrutura dos nossos workshops; o professor deve nos conduzir através dele. Ele deve constantemente acrescentar perguntas e trazer novos temas para discussão. Ele é o único que nos conduz passo a passo, etapa por etapa, e, gradualmente, permite-nos desenvolver nossos desejos, pensamentos e aspirações. Nós estamos diante de uma situação em que não temos outra escolha senão reconhecer certas qualidades dentro de nós e compará-las com o que as outras pessoas veem em nós. Nós também temos que ter consciência de como tratamos as mesmas qualidades nas outras pessoas e buscar meios de nos elevar acima de nossas críticas.

Temos que estudar cuidadosamente a nós mesmos; no entanto, a principal coisa é aprender a superar nossas reivindicações. Eu continuo tentando muitas vezes e finalmente alcanço! Você já viu um gato que está se preparando para dar o bote? Se ele quer saltar do chão para cima da mesa, ele se flexiona várias vezes, como se estivesse tentando, e só então ele salta. Da mesma forma, temos que fazer os exercícios e depois pular.

Cada workshop tem uma parte teórica, mas o principal é a discussão, durante a qual ficamos nos conhecendo melhor. Aprendemos com nós mesmos e trazemos nossas dúvidas, problemas e momentos difíceis que nunca traríamos de outra forma por causa da nossa masculinidade. Um homem (Gever) é aquele que supera (Mitgaber) a si mesmo em vez de seguir seus instintos. Um herói (Gibor) é aquele que conquista sua predisposição egoísta.

Portanto, nós temos que perceber nossas fraquezas, e o que significa o verdadeiro herói: aquele que as supera. Na vida normal, quando as pessoas estão discutindo, brigando e gritando umas com as outras, elas parecem crianças pequenas. Cada uma parece querer demonstrar que grande egoísta ela é. Em nossos workshops, nós demonstramos claramente que somos os heróis, já que a palavra “herói” (Gibor) tem a mesma raiz da palavra “superar, vencer” (Hitgabrut).

Temos que falar sobre isso de forma aberta e direta. Graças a esse trabalho mútuo vamos realmente começar a sentir um ao outro. E nunca mais haverá tais censuras, como as que as mulheres fazem frequentemente a seus maridos: “Por que você nunca fala comigo!”. Seu marido nem terá que falar com ela, uma vez que em nossos workshops nós vamos aprender a sentir um ao outro internamente. Uma poderosa comunicação interna será iniciada entre nós.

É como pessoas que vivem juntas há muitos anos. Por exemplo, eu vivo com minha esposa há 45 anos e agora não precisamos falar muito. A conversa não é mais uma necessidade, mas sim uma tradição. Se fôssemos recém-casados, eu teria que falar muito com ela. No entanto, depois de tantos anos juntos, nós nos conhecemos tão bem que nos comunicamos internamente.

Os mesmos resultados podem ser alcançados através dos workshops que conectam as pessoas. Se nos elevarmos além dos assuntos familiares e falarmos dos problemas do mundo, do meio ambiente, da sociedade, dos países em que vivemos, e de todo o planeta, todos eles derivam da conexão incorreta entre as pessoas.

É disto que a economia e as finanças estão sofrendo. Em alguns lugares as pessoas estão morrendo de fome e em outros lugares há pessoas obesas jogando fora excedentes de comida. A razão para tal estado das coisas são as conexões erradas e a falta de igualdade. É por isso que é claro para todos que se conseguirmos corrigir os problemas familiares e ir além deles, vamos alcançar o sucesso.

Da “Discussão Sobre a Nova Vida” 12/07/12

Comente