O Caminho Do Grupo Mundial

Pergunta: Qual é o caminho que o nosso grupo mundial está seguindo? Como podemos conectar o trabalho interno, a unidade, e o que é esperado na convenção de Novosibirsk? Como podemos ver o nosso caminho futuro?

Resposta: Nós lidamos com a unidade interna, como se não existisse um mundo externo e há apenas nós, o grupo num mundo sozinho, e nós temos que unir a tal ponto que vamos chegar ao nível que dentro desta unidade, vamos começar a sentir o mundo superior, o atributo de doação, reciprocidade, respeito, e amor.
A força superior, o estado superior, o próximo nível de nossa existência, será revelado nisso. É um movimento para dentro em direção a nossa unidade.

Há um outro movimento, um movimento para fora, para o resto da humanidade. Onde não falamos sobre a Cabalá, mas apenas sobre a unidade como uma ação necessária, a fim de trazer o mundo inteiro para um estado de equilíbrio, para se assemelhar à natureza, a lei geral de equilíbrio e harmonia geral.

Estas duas ações são aparentemente opostas e muitos de nós temos dificuldade para nos unirmos internamente. Mas o movimento para dentro é o nosso movimento pessoal que é comum a todos aqueles que estudam a Cabalá. Nele há de tudo que podemos aprender com as fontes.

Nós mudamos o mesmo material um pouco, mudando a sua forma externa, os livramos dos termos cabalísticos e deixamos apenas os conceitos de cooperação, conexão e o de garantia mútua, que se dissemina externamente como nós chamamos as pessoas para perceber que a nossa unidade nos fará igual a natureza e, assim, removerá todos os fenômenos negativos na vida.
Por que nós queremos atrair as pessoas para a unidade, para ascender. Afinal, eles não sabem o que é uma ascensão espiritual é, o que o próximo nível do nosso desenvolvimento é, e por que a natureza nos obriga a alcançá-la.

Estes dois movimentos opostos evocam em uma pessoa e em grandes grupos conflitos internos, desentendimentos e separações. As pessoas não sabem exatamente como agir, o que realmente fazer, e se elas devem aprofundar no assunto ou se misturar com o movimento externo.

Recebemos muitas perguntas sobre isso e embora no geral temos lidado com por um bom tempo, muitas pessoas que não têm realmente entrado no sistema da mudança no mundo e do homem como a parte principal do mundo, começam a reconhecer isso agora.

Portanto, há uma grande confusão, e nós temos que pôr um fim a isso.

Caso contrário, isso vai gerar mal-entendimentos entre os grupos, e os amigos não vão entender um ao outro. Um vai ser puxado para dentro e outro para fora e, de repente, os grupos serão divididos e vão se tornar menores, e as pessoas vão sair já que algumas delas não aceitam isso.

As pessoas não entendem que o nosso papel todo é criar uma força, uma oportunidade como essa, pela nossa unidade interna, que a força superior vai ser revelada em nós e nós vamos ser capazes de espalhar para as outras pessoas que são atraídas para nós, não porque o mundo superior e sua realização interesse a elas, mas porque elas vêem a necessidade de se unir com o que a natureza nos oferece hoje, para as pessoas comuns é um chamado da natureza.

Espero que todos gradualmente entendam isso e quem ainda sente que ainda está dividido internamente e não pode internalizar essas duas tendências opostas, irá aceitá-la e reconhecê-la e vai começar a trabalhar nas duas direções.

Eu entendo que não é simples para uma pessoa, mas temos que separar as duas tendências. Uma pessoa tem que esclarecer que a nossa unidade interna, o que lidamos com nas aulas e nas oficinas pertencem somente a nós, o mundo do grupo do Bnei Baruch e o que vamos fazer com os 99% da população não é a Cabalá mais, mas a garantia mútua, educação integral, etc

[90587]
Da Lição Virtual de 14/10/2012

Comente