Uma Nação Que Não Existe

Dr. Michael LaitmanVamos falar sobre o povo judeu na primeira pessoa.

Nós temos que subir à base comum que nos conecta; nós não conseguimos manter o respeito mútuo entre nós como outras nações e precisamos da força de conexão, ou seja, da Luz superior. O povo de Israel não pode existir sem o Criador, que é revelado no meio dele. No passado, quando a força superior desapareceu, nós fomos destruídos e espalhados por todo o mundo e deixamos de ser uma nação, uma vez que uma “nação” é um vaso coletivo.

Como para as nações em geral, o período de evolução “embaralhou todas as cartas”. Não há mais uma divisão exata, não existem raízes claras. Assim, qualquer pessoa que queira juntar-se e participar no cumprimento do princípio do “Ama ao amigo como a si mesmo” pertence à categoria de “Israel”, ou seja, que ela anseia pelo Criador (Yashar-El, direto ao Criador). Todos os outros pertencem à humanidade em geral.

Hoje, depois desta mistura geral, quando o mundo se tornou uma “salada”, apenas a Luz superior se diferencia entre nós. Como um ímã, ela atrai para o alto os indivíduos que pertencem a Galgata ve Eynaim das massas. Os outros permanecem abaixo, em AHP. É a Luz que revela os vasos e nós temos que trabalhar nestas partes.

Portanto, a fim de corrigir entre nós a conexão que é típica de uma nação, temos que estar numa altura espiritual. Caso contrário, sem a Luz, esta conexão será simplesmente impossível. Não é por acaso que o Baal HaSulam fala sobre a educação especial que precisamos no jornal HaUma (A Nação) . Outras nações não precisam de tal coisa.

Assim, nós temos que nos conectar num grupo que trabalhe para se tornar um todo, “como um homem num só coração”. Esta é a condição para a existência do povo de Israel. Nós não podemos manter esta conexão no nível corporal, com base em nossa história comum e geografia. Pelo contrário, há muito tempo a história e a geografia já não nos conectam. A única coisa que pode nos unir e levar ao amor mútuo e à conexão é a Luz que Reforma. Não é simplesmente uma conexão qualquer, mas uma conexão espiritual.

Nós simplesmente não somos criados pela conexão corporal, uma vez que não pertencemos ao AHP mas à Galgalta ve Eynaim. Não podemos ser como as outras nações; não temos as forças necessárias para isso, não temos o atributo interno correspondente. Não podemos tomar o exemplo delas. A única opção é nos corrigirmos.

Isso é porque nós vivemos por leis opostas: quando a quebra é entre nós, caímos em ódio infundado, em vez do amor fraterno. Não há tal coisa como entre as nações do mundo. Nós, no entanto, sentimos repulsão um pelo outro. Se não fosse o ódio que sentimos de nossos vizinhos e de todo o mundo, nos manteríamos tão distantes quanto possível um do outro. Não nos casaríamos e não desejaríamos nenhum colega. A força da quebra agiria entre nós

Só o ódio geral em relação a nós nos une como nozes num saco, como um rebanho que ainda tem esperança de ser salvo. Caso contrário, nós estaríamos prontos para dissolver e nos reunir num lugar distante, onde pudéssemos viver uma vida boa e confortável.

Portanto, não podemos nos comparar às outras nações. Afinal, elas não estavam num nível espiritual, pois não foram destruídas dois mil anos atrás e não caíram ao nível corporal. É uma falsa esperança de que nos uniremos como todos os outros e nos tornaremos uma nação. O que chamamos de “Estado de Israel” só existe temporariamente, a fim de nos permitir chegar à verdadeira conexão. Caso contrário, não há nenhuma razão para sua existência.

Tudo o que aparentemente nos conecta hoje vem de fora e facilmente desmoronará. Dê às pessoas uma chance e elas vão facilmente se estabelecer em outro lugar. Elas podem ter alguns sentimentos, mas não há nenhuma conexão. Isto porque nós não corrigimos a quebra, por isso não há nenhuma maneira de nos conectarmos. Nós precisamos de uma educação especial, mas em vez disso, estamos descendo cada vez mais…

Da 4ª parte da Lição Diária de Cabalá 13/08/12, Escritos do Baal HaSulam

Comente