O Teto Do Crescimento Egoísta

Dr. Michael LaitmanHoje nós temos uma oportunidade que nunca tivemos antes. O método de correção está sendo revelado, e se fôssemos usá-lo, seria muito fácil para nós atingir a necessária garantia mútua e a união. Muitas pessoas da nação de Israel já entendem isso e estão se aproximando disso. Nós criamos uma grande organização, que traz à vida os princípios da garantia mútua em Israel, e eu estou cheio de esperança de que a correção acontecerá de uma boa forma. Porque senão, gentilmente falando, a nossa viagem vai ser desagradável, mas vai levar ao mesmo lugar. De uma forma ou de outra, a meta é clara: todos devem se tornar um todo único.

Pergunta: Por que especificamente agora?

Resposta: Nós vemos isso pelo estado da humanidade e da natureza. O mundo chegou a uma crise comum, e quem primeiro chegou à crise foi a parte do mundo que determina o estilo de vida, a forma e o ritmo do avanço da humanidade. Além disso, não estamos falando de problemas com tecnologia, economia, educação, cultura, ciência, vida pessoal, divórcio, drogas, depressão, que está se tornando a doença número um, e assim por diante. Não, essa é uma crise interior e muito profunda do nosso ego causada pelo fato de que a linha esquerda, egoísta, completou o seu desenvolvimento.

Ao longo dos últimos dois milênios, enquanto o povo judeu estava no exílio, o egoísmo crescente empurrou-nos para diferentes objetivos e obrigou-nos a descobrir novos continentes, construir a indústria e o comércio. Nós continuamos avançando, formando novos sistemas e mecanismos. Nós pensamos que a existência egoísta era suficiente para alcançar uma vida boa. Nos últimos cem ou duzentos anos, o egoísmo cresceu exponencialmente, mas, de repente, ele como que chegou ao “teto” e parou.

Fato: Não desejamos mais nada novo. A geração jovem não define nenhum grande objetivo: tornar-se rico ou poderoso, ou fazer descobertas científicas. Pelo contrário, o desespero e o cansaço estão crescendo, como se os jovens nascessem velhos. Eles já não têm as mesmas aspirações como antes, pois não querem saber, aprender e sobressair-se. Estudos mostram que estes desejos atingiram a saturação e enfraqueceram. Assim, a linha esquerda parou de se desenvolver e nós já não vemos a luz à nossa frente.

A natureza também está nos mostrando uma imagem triste do fim da estrada: as fontes de energia estão se aproximando da exaustão e o meio ambiente está em colapso.

A sociedade humana também está desmoronando diante de nossos olhos: as relações familiares e interpessoais estão sendo quebradas e a separação é cada vez maior. Tudo isso aponta para o final da linha de esquerda, e agora, o povo de Israel deve ativar a linha direita.

Durante os dois mil anos de exílio, o povo de Israel só avançou na linha de esquerda, juntamente com o mundo. O mundo não é capaz de avançar na linha direita, apenas o povo de Israel é capaz disso. É por isso que ele está agora entrando numa fase histórica: ele carrega a responsabilidade de perceber a linha direita e combiná-la com a linha esquerda.

Os últimos dois mil anos já introduziram a linha esquerda nos judeus. Está escrito que os filhos de Israel foram para o exílio a fim de conectar as almas das nações a eles. Esta é a linha esquerda, do egoísmo, que hoje o povo de Israel tem de sobra, ainda mais que os outros. Desta forma, a única coisa que resta para eles a fazer é perceber a linha direita dentro deles e equilibrá-la com a linha esquerda, criando a linha média. Dessa forma, eles vão mostrar a direção para o mundo inteiro, e será fácil para as pessoas aceitar este caminho.

Trecho de “Uma Conversa” 05/06/12

Comente