Ari: O Início Da Subida

Dr. Michael LaitmanBaal HaSulam, “Introdução ao Livro, Panim Meirot uMasbirot“, Item 8: Não há palavras suficientes para medir a sua santa obra em nosso favor. As portas da realização estavam trancadas e fechadas, e ele veio e abriu-as para nós. Assim, todos aqueles que desejam entrar no palácio do Rei só precisam de pureza e santidade, e ir banhar-se, raspar os cabelos e usar roupas limpas, de forma adequada perante a Realeza sublime.

Você encontra um homem de 38 anos que subjugou com sua sabedoria todos os seus antecessores através do Gênio e através de todos os tempos. Todos os anciãos da terra, os pastores corajosos, amigos e discípulos do Santo sábio, o RAMAK, ficaram diante dele, como discípulos diante do Rav.

Todos os sábios das gerações que os sucederam até hoje, sem faltar nenhum, abandonaram todos os livros e composições que o antecederam (a Cabalá do RAMAK, a Cabalá do Primeiro e a Cabalá do Gênio, bendito seja a memória deles todos. Eles ligaram a sua vida espiritual inteira e unicamente a sua Santa Sabedoria.

Nós devemos ser gratos à força superior que nos enviou esses professores. Tendo percebido, entendido e sentido em comunhão com a força superior, eles nos falam sobre isso e preparam o caminho pelo qual nós também podemos seguir os seus passos, pelo menos de alguma forma, através da implementação de seu ensino e preparando o caminho para os outros.

O Ari simboliza o momento em que a humanidade começou a subir para a correção. É por isso que seu papel é tão importante. Até então, todos os caminhos estavam bloqueados, e a realização dos Cabalistas permanecia muito limitada. Às vezes, a sensação dela sobrepujava o entendimento.

Nós não sabemos exatamente como era isso nem compreendemos exatamente o que o Ari fez. Sim, ele deixou livros, ele encontrou a linguagem; no entanto, ainda não estamos conscientes da grandeza do que foi feito por ele. Por seu trabalho espiritual, o Cabalista faz correções em todo o sistema e, assim, ele nos avança para as etapas da revelação do Criador, que aspiramos. Não se trata dos livros que podemos ler, mas do fato de que o Ari preparou e nos trouxe o acesso ao mundo espiritual, às Luzes que nos conduzem ao longo dos caminhos espirituais. Este é o trabalho do Cabalista. Os livros onde ele expressa esse acesso são apenas um pequeno companheiro àquilo está aberto aos nossos olhos.

Todos os Cabalistas subsequentes são alunos do Ari. Todos eles, inclusive nós, nos baseamos em seu legado. O poema “A Árvore da Vida” e muito mais, tudo isso decorre de sua grande revelação. Baal HaSulam escreve sobre seus grandes antecessores, o Rav Akiva, Rashbi, e outros que revelaram o mundo espiritual de uma forma secreta e limitada.

Não havia linguagem à medida que os vasos/desejos não estavam prontos. Claro, isso depende da geração na qual o Cabalista atua. Além disso, a grandeza do Ari é que ele começou a correção e abriu o caminho para nós. Ele é especial, e nós devemos ser gratos que temos tal mentor. Vamos esperar que sejamos capazes de seguir o seu caminho, deixando para trás os caminhos pelos quais milhares avançam para dar prazer ao Criador, à espera de todos nós em seu palácio.

Da Conversa durante a Refeição Comemorativa à Morte do Ari, 25/07/12

Comente