Um Embrião: Um Estranho Ou Seu Mesmo, Da Terra Ou De Cima?

Dr. Michael LaitmanNas Notícias (do New Scientist): “É um dos grandes mistérios da gravidez: como um feto evita ser atacado pelo sistema imunitário da sua mãe. …

“O corpo dos mamíferos responde normalmente a células ou tecidos estranhos liberando produtos químicos que promovem inflamação e invocam células imunológicas chamadas células-T para destruir os invasores. Mas durante a gravidez, algo foge a este processo. Isto significa que apesar de conter material genético do pai, o embrião consegue implantar-se no útero de sua mãe e crescer lá em segurança sem activar uma resposta imunológica. …

“A equipe de Erlebacher [Adrian Erlebacher da Escola de Medicina da Universidade de Nova Iorque e seus colegas] descobriu que as células da decídua, o alinhamento do útero onde o embrião se instala, não produzem os sinais químicos habituais que activariam inflamações e chamariam as células-T ao local. Uma inspecção mais próxima destas células da decidua revelaram mudanças na estrutura do DNA à volta dos genes que normalmente produzem estes sinais químicos, resultando no seu silenciamento. …

Meu Comentário: O desligamento da síntese das proteínas de sinalização de corpo estranho ocorre sob a influência de forças “antinaturais” de amor e doação que surgem no corpo egoísta relativo à sua descendência que se desenvolve nela. Isto deve-se à penetração da Luz superior no desejo que Ele criou na primeira etapa das quatro etapas de expansão da Luz. E a Luz no desejo dá ao desejo a Sua propriedade – criar, que é semelhante ao processo de reprodução – gestação e nascimento.

O processo de concepção, nascimento, amamentação e educação é semelhante ao acto da criação do Criador. Ocorre na etapa 2, Bina, que quer ser como a etapa 0, Keter. Assim, no nível instintivo do desejo (0 – 1 – 2 – 3), a criação, que é forçada pelo desejo, torna-se semelhante ao Criador. Na quarta etapa do seu desenvolvimento, força-se a si mesmo a tornar-se o Criador conscientemente, em apreender a Sua atitude em relação às criaturas e em comparando-se a Ele, no processo da sua correcção; isto é, reprodução espiritual, desenvolvimento da alma: a sua concepção, desenvolvimento pré-natal, nascimento, amamentação, e crescimento, até à equivalência completa com o Criador.

Comente