Nós Estamos Unidos Por Um Sistema De Conexões?

Nas Notícias (do The Guardian): “Como nossos locais de reunião se calam, salvo tocar nas telas, parece que temos confundido a conexão onipresente pela coisa real.

“Eu percebi isso pela primeira vez num restaurante. O lugar estava estranhamente calmo, e numa mesa um grupo parecia em profunda oração. Suas cabeças estavam curvadas, seus olhos com capuz e as mãos no colo. Então eu percebi que todos, jovens e velhos, estavam olhando para um telefone portátil. As pessoas passeavam pela rua lá fora da mesma forma, com os braços tortos em ângulos retos, pescoços dobrados e cabeças em posturas potencialmente incapacitantes. Mães com bebês estavam fazendo isso. Os alunos em grupos estavam fazendo isso. Eles eram como zumbis de plantão. Não havia conversa.

“A professora do MIT e psicóloga Sherry Turkle afirma que seus alunos estão perto de dominar a arte de manter contato visual com uma pessoa enquanto enviam SMS para alguém. É como um organista tocando músicas diferentes, com mãos e pés. Para Turkle, estas pessoas estão ‘sozinhas juntas… uma tribo de um’. Qualquer um com 3.000 amigos no Facebook não tem nenhum. …

“Os psicólogos identificaram isto como ‘medo de conversa’. As pessoas usam fones de ouvido como ‘dispositivos de prevenção de conversação’. A internet nos conecta ao mundo inteiro, mas é um mundo feito sob medida, editado, excluído, desinfectado. …

“Agora, há uma aparente demanda crescente por ‘conversa’ online com robôs e vozes artificiais. Celulares vêm carregados com ‘namoradas’ personalizadas. As pessoas voltam aos conselheiros amorosos informatizados, até mesmo reivindicam apaixonarem-se por seus GPS. Um selo foca pode ser comprado para se sentar e ouvir os idosos falarem, inclinando sua cabeça e piscando com simpatia.

“Nós temos, diz Turkle, confundido conexão com conversação – ‘a ilusão do companheirismo sem as exigências do relacionamento’. A amizade humana é rica, confusa e complicada. Ela exige paciência e tolerância, até mesmo compromisso. À medida que empurramos outras pessoas para um mundo de perguntas e respostas, de conexão e informação, a amizade torna-se virtualidade substituída.

“Dito isso, a morte da conversação foi anunciada tanto quanto a do livro. …

“Uma centena de universidades online não substituem um campus cheio de vida, assim como mais o Facebook não substitui o sexo ou o Twitter o debate. …

“Aqueles obcecados com a conectividade passageira e a fuga pessoal não estão fugindo da realidade. … No fundo, eles ainda anseiam por amizade. Eles só querem um melhor tipo de conversa!”.

Comente