Os Problemas De Moradia Alcançaram Os Europeus

Dr. Michael LaitmanNas Notícias (do The New York Times): “A longa duração da crise do Euro na Europa pode estar esfriando. Mas, a agonia econômica deixada está empurrando uma maré crescente de trabalhadores em situação precária na França e em toda a União Europeia. Hoje, centenas de milhares de pessoas estão vivendo em acampamentos, veículos e quartos de hoteis baratos. Milhões de pessoas estão dividindo espaço com parentes, incapazes de arcar com os custos básicos de vida.

“Essas pessoas são a margem extrema de trabalhadores pobres na Europa: uma fatia crescente da população que está deslizando pela rede europeia de segurança social longamente louvada. Muitos, especialmente os jovens, estão presos em empregos de baixa remuneração ou temporários que estão substituindo os permanentes destruídos no período de baixa econômica da Europa.

“Agora, os economistas, funcionários europeus e grupos de vigilância sociais estão alertando que a situação está piorarando. Enquanto os governos europeus reagem à crise, forçando profundos cortes de gastos para fechar lacunas de orçamento e maior flexibilidade na sua força de trabalho, ‘a população de trabalhadores pobres vai explodir’, disse Jean-Paul Fitoussi, professor de economia do L’Institut d ‘ Études Politiques de Paris.

“A tendência é mais alarmante em países duramente atingidos, como Grécia e Espanha, mas está aumentando inclusive em nações mais prósperas, como França e Alemanha.

“‘A França é um país rico’, disse o Sr. Fitoussi. ‘Mas os trabalhadores pobres vivem nas mesmas condições do século XIX. Eles não podem pagar por aquecimento, não podem pagar pelas roupas de seus filhos, às vezes são cinco pessoas vivendo num apartamento de nove metros quadrados – aqui na França”, ele exclamou, falando de um apartamento de cerca de mais ou menos 30 metros quadrados”.

Meu comentário: Infelizmente, por causa da miopia do governo e da falta de vontade política, é a população quem sofre e não o governo. Integração e união não são apenas palavras, mas um estado da sociedade! Os pais da integração europeia não levaram isso em conta. Eles queriam atingir seus objetivos egoístas sem fazer mudanças sociais.

A unificação deve estar acima de todas as contradições, caso contrário, a “União Europeia”, que nunca existiu na realidade, entrará em colapso enterrando toda a Europa desenvolvida. Mesmo no início da criação da UE, eu escrevi o que era necessário para a união:

Formação: Como criar uma pessoa, (Hinuch em hebraico), quando uma pessoa ainda não está formada, criando uma criança através de atitudes, estruturas e por meio da criação de um ambiente, usando exercícios até a idade de 13 anos. Simultaneamente, mas à medida que ocorre a assimilação da formação, adiciona-se a aprendizagem.

Aprendizagem: Para aprender (Lemidah em hebraico), a assimilação da experiência do passado humano. Isso leva a pessoa à educação.

Educação: Educar, para moldar a imagem do futuro de uma pessoa, isto é, sua capacidade de pensar no futuro e seguir em frente.

Comente