Ser Meu Próprio Mestre

Dr. Michael LaitmanA pessoa não se importa se ela recebe ou doa, mas sim como ela se sente em relação a isso. Se eu me sinto bem, eu estou pronto para lhe trazer um presente todos os dias, a cada momento. A principal coisa é que isso me traz prazer.

O problema não está em dar o presente, mas em sentir prazer nisso. No momento em que eu sinto que a doação me satisfaz, eu lhe darei o que você quiser. Eu não penso na possibilidade de dar ou não dar, mas em como ter prazer com isso.

Não há muito espaço para filosofias aqui porque nós somos apenas desejo de desfrutar, e não podemos fazer nada se ela nos traz satisfação. A questão é como realizar ações sem receber qualquer satisfação?

É por isso que nos foi dado o desejo de nos satisfazer egoisticamente para que, acima dele, nós construamos nossa atitude para com a forma de satisfação. Eu tenho que verificar a mim mesmo: Como eu desfruto? Isso significa que eu me agarro pela garganta e agora decido como eu devo desfrutar: desta ou daquela forma. Até então, eu me estrangulo e não me permito receber nada.

Então, eu me torno independente. Eu sou livre com relação à satisfação, e sou capaz de impedir a mim mesmo de receber a satisfação, ou, pelo contrário, de satisfazer-me. Isto me torna semelhante ao Criador, porque Ele é o mestre, tanto do desejo como da realização, e por isso eu também me torno o mestre e tenho controle sobre os dois.

Nós não entendemos como podemos estrangular a nos mesmos com nossas próprias mãos e quão livres nos tornamos quando alcançamos isso! Trata-se de estado tão elevado que só nele eu sou chamado de “Humano”.

Até então só há um cálculo automático em mim e nada mais que isso. É como querer parar de fumar porque não é saudável. Tudo depende do que é mais importante para mim.

Comente