A Garra Da Conexão

Dr. Michael LaitmanPergunta: A Psicologia fala de diferentes reguladores de comportamento como a vergonha, o sentimento de culpa, medo, e por aí fora. Cada pessoa tem estes sentimentos e eles têm a ver com a ética. Por si próprios estes reguladores são neutros. Mas como é que você os usa de forma adequada? Seremos capazes de ensinar as pessoas a usar adequadamente sentimentos como vergonha, culpa, ou medo?

Resposta: Primeiro que tudo, nós temos de ensinar as pessoas a ter uma atitude objectiva em relação a estas qualidades uma vez que elas foram introduzidas em nós pela natureza. Como aprendemos a usá-las? Precisamos ensinar-lhes isso.

Primeiro que tudo, temos de elevar-nos acima delas. Eu sou humano. Tudo isto existe em mim. Qualquer coisa humana não é estranha para mim. Eu percebo e tento perceber todas as minhas qualidades negativas e positivas. Elas não são minhas, elas foram introduzidas em mim pela natureza. E o mesmo se aplica a toda a gente. Assim, temos de atingir harmonia absoluta entre nós usando absolutamente todas as nossas qualidades! É isso.

Gradualmente, iremos “empurrar” qualidades, medos, preocupações e auto-culpa cada vez mais novos de dentro de nós. De alguma forma, precisaremos fazer todo este trabalho confortavelmente na nossa amizade habitual de forma que nenhuma destas qualidades permaneça dentro de mim – todas irão gradualmente sair de mim.

Uma criança nos braços da sua mãe está envergonhada de alguma coisa? Não, nada! Falta-lhe este conceito. Está completamente nua e completamente dela. De forma semelhante, quando existe um entendimento completo, amor, sentimentos mútuos, e uma necessidade por cada um, nada é tabu. Pelo contrário, quanto mais deles revelares, maior oportunidade dará para eles se agarrarem um ao outro, como se você tivesse garras e se conectassem juntos.

É por esta razão que todas as nossas qualidades egoístas negativas, que inicialmente queríamos usar para nos agarrar uns aos outros para obter algo para nós próprios, estão agora a começar a se manifestar como uma boa e própria conexão entre nós, e assim não vemos nada de mau nas coisas criadas em nós pela natureza. Nós não seriamos capazes de nos conectar uns com os outros sem estas qualidades negativas. Quando transformamos o seu uso de negativo em positivo, adquirimos a oportunidade de fazer contacto e estar conectados.

É como engrenagens. Se as engrenagens fossem redondas, elas apenas escorregariam, de modo que as pregas e as garras ajudam-nos a conectar.

Está escrito na Torá em relação ao egoísmo: “Eu dei-te ajuda contra ti”. Esta ajuda invertida na verdade ajuda-nos. Portanto as engrenagens são as nossas qualidades egoístas.

Da “Conversa sobre Educação Integral” #11, 16/12/11

Comente