O Ridículo Orgulho De Um Tolo

Dr. Michael LaitmanSe você se sente mal, antes de tudo, você tem que entender o porquê. A causa de todo mal é a quebra que aconteceu em nosso desejo de receber prazer, depois da qual esse desejo começou a trabalhar para seu próprio benefício.

Eu tenho que aprender tudo isso. Se eu trabalhar no grupo e fizer isso do jeito correto, eu revelo que não há outra força hostil na realidade além do meu próprio ego, que fica no caminho de tudo o que faço e não me deixa aproveitar a vida.

Isto é o que a humanidade está gradualmente revelando agora. Não há outro mal além do ego. Ele é a causa do sofrimento no mundo.

Eu revelo tudo isso apenas sob a condição de que eu tento me conectar com os outros e vejo que não desejo isso. Então, eu descubro que “o Criador criou a inclinação ao mal” e percebo: “Ah! foi o Criador que fez tudo isso!”.

Em outras palavras, eu tenho que conectar tudo a Ele, e isso não é fácil. Eu tenho que perceber que Ele deliberadamente arranjou todo o mal para mim e fez isso de forma tão cruel e astuciosa, a fim de me revelar que dependo completamente Dele. É como se Ele me dissesse: “Você deve vir e se curvar diante de mim, e se você pedir gentilmente, eu vou corrigir esse mal para você. Mas, se não, você vai recebê-lo, parte por parte, cada vez mais, até que não tenha outra escolha senão se curvar”.

Nós temos que perceber que o nosso desejo egoísta é maior que o nosso ego, maior que o nosso orgulho. Se fosse o contrário, nós nos bateríamos até a morte, mas não seríamos capazes de nos curvar. A salvação está no nosso desejo egoísta que nasce dos níveis inanimado, vegetal e animal. Sob os golpes, ele constantemente se torna mais baixo em termos de suas qualidades.

Eu subo em meus desejos até o topo e, de repente, recebo um golpe. Depois disso, eu já não miro tão alto e me torno mais modesto. Então, eu recebo outro golpe e me curvo um pouco mais. Assim, golpe após golpe, eu me torno mais inteligente e começo a olhar ao redor: “Quem está me golpeando todo o tempo, quem está acima de mim?”.

Como resultado, eu reduzo os meus desejos a ponto de me sentir como um animal, dependente, miserável e intimidado. O desejo de receber prazer é a substância da criação. Todo o resto é apenas um complemento a ele que deriva da equivalência de forma com o Criador ou a falta dela.

Assim, o nosso orgulho desaparece sob os golpes e somente o desejo animal permanece. Quando eu alcanço tal estado, estou pronto para curvar minha cabeça; estou pronto para pedir. Meu orgulho tolo se foi.

A questão agora é se eu serei inteligente o suficiente para perceber que sou realmente um animal e que toda minha arrogante ousadia é um engano. Eu tenho que renunciar a ela antecipadamente, me rebaixar, e pedir ao Criador a correção. A correção está Nele se apoderar de mim através do meu pedido. Se eu alcanço tal pedido, essa é a minha prece. Não há outra oração.

Isso requer muita força e apoio dos amigos, Afinal, se você conseguir se rebaixar diante deles, eles vão lhe dar a força para você se rebaixar diante do Criador, multiplicada muitas vezes. Com isso, você acelera o tempo, reduz os golpes, ao invés deles avançarem junto com a mente.

Se você se rebaixar um pouco diante do grupo, ou como o Rabash escreve, fizer um zero (0) de você e um um (1) do grupo e o colocar à sua frente, você vai se transformar em “10”. Se você fizer dois zeros de você mesmo, você vai se transformar em “100”, ou seja, você vai receber 100 vezes mais força.

Assim é que você recebe uma grande força do ambiente: se você se rebaixar diante dele um pouquinho. Quanto menor você for, mais força você recebe do ambiente em termos do avanço ao Criador. É uma relação inversa.

Com disso, você economiza muito tempo e se livra dos ciclos de vida cheios de sofrimento, guerras e problemas graves. É nisso que reside todo o trabalho.

Da 3a parte da Lição Diária de Cabalá 07/10/11, TES

Comente