O Mundo Sem O Euro

Dr. Michael LaitmanOpinião: (John Kornblum, Conselheiro Sênior, Noerr Stiefenhofer Lutz, Berlim e ex-embaixador dos EUA para a Alemanha): “Para os pais do euro, o fim da Guerra Fria, em 1990, foi um tempo de preocupação, bem como de celebração. À medida que eles olhavam para o futuro, eles também estavam obcecados com o passado sangrento do continente. Será que uma nova Europa, especialmente a Alemanha reunificada, despertaria antigos sentimentos nacionalistas e traria novamente o perigo da guerra?

“O alemão Helmut Kohl e o francês François Mitterrand – praticamente todos os líderes europeus desde então – viram uma moeda comum como um projeto essencialmente político, destinado a consolidar a união européia e eliminar esse perigo. Para eles, um mundo sem o euro teria sido um mundo cada vez mais ameaçado por conflitos e mesmo guerras.

“Por causa desses temores, o projeto euro foi feito às pressas, sem o acordo chave das instituições políticas comuns, que teria transformado a Europa numa zona econômica realmente unificada. Como resultado, cada país segue sua própria política econômica; a Grécia gasta, enquanto a Alemanha economiza. E os mercados têm sido rápidos em focar o elo mais fraco, ameaçando o euro ao quase conduzir países como Grécia e Portugal à bancarrota.

“Em vez de agir de forma decisiva, …Os governos europeus sentem-se limitados por seu compromisso com a ‘Europa’ em dar pequenos passos que não prejudiquem o equilíbrio dentro da União Européia (UE). Este medo avassalador de conflitos internos é o verdadeiro legado da Segunda Guerra Mundial, que tem sobrecarregado a UE desde o seu nascimento em 1957. Os políticos europeus podem não ser especialistas em finanças, mas eles conhecem seus eleitores. Não fazer nada é melhor do que arriscar a estabilidade duramente conquistada.

“Porque no final, tais decisões ainda são sobre a guerra”.

Meu comentário: Em todo o caso, até que as pessoas se tornem conscientes de sua total dependência mútua, o medo da guerra não vai desaparecer de suas consciências. Apenas a garantia mútua vai salvar o mundo do medo da guerra e elevar-nos à sensação de eternidade.

Comente