Como Você Pode Ser Tratado Se Você Não Sente Que Está Doente?

Dr. Michael LaitmanPergunta: No artigo “O Amor pelo Criador e o Amor pelos seres Criado”, o Baal HaSulam diz que o mais importante é começar e não abandonar no meio. O que significa isso?

Resposta: Você também pode se desviar do caminho no mundo corporal se você considerar costumes como mandamentos. A pessoa simplesmente se acostuma a realizar certas ações em vez de revelar os mandamentos internos por si mesma, como a correção de seus atributos.

Quando uma pessoa se corrige, ela está lidando com o Criador, e ela quer atrair a Luz para se tornar como Ele e se aproximar da adesão com Ele. Mas se os mandamentos tornam-se “ações físicas” às quais a pessoa se acostuma, ela não segue o caminho espiritual, mas simplesmente aprende a realizar certos rituais aceitos em seu ambiente.

Nós não dizemos que isso é errado, mas dizemos que isso não corrige a alma. Esta não é que a razão pela qual nós existimos no mundo. É apenas uma condição externa que pode tornar mais fácil a verdadeira correção interna. No estado perfeito, a internalidade e a externalidade devem se apoiar. Infelizmente, isso não acontece na prática.

A pessoa não deve parar no caminho espiritual. Quando ela começa a se corrigir, ela descobre o quão estúpida ela é. Isto quebra o seu coração e ela não consegue continuar. Ela descobre que não é como o herói que se corrige e ganha com isso, como ela pensava ser.

Um plano semelhante pode ser inserido na vida comum, porque a pessoa trabalha egoisticamente em algo externo. Aqui, ao contrário, ela tem que usar algo externo para trabalhar em seu egoísmo. Este trabalho é completamente oposto, incomum para ela. Nós não estamos acostumados à idéia de que temos que mudar nossa raiz, nossa essência. Agora não significa que eu estou trabalhando em algo, mas sim que algo está trabalhando em mim. Além disso, eu não tenho que esperar passivamente, como um doente num tratamento médico, mas sim perguntar o tempo todo: “Transforme-me! Transforme-me!”.

Como podemos realizar isso? Se eu pudesse sentir e entender mais, isso seria diferente. Mas como eu posso exigir algo que eu nem quero? Como posso pedir algo que é contrário à minha natureza? “Deixe-me amar os outros, deixe-me conectar a eles”, é como pedir pelos piores problemas. Naturalmente, eu quero usar o mundo a meu favor, mas eu tenho que pedir ao Criador para mudar o programa em mim: “Mudar o meu coração e mente, não importa o que eu era antes, apenas fazer com que eu me importe com os outros”.

Ao mesmo tempo, uma explosão de sentimentos altruístas, que a pessoa consegue reter por um instante depois de se decepcionar com tudo o resto, não é suficiente aqui. Não, um grito não vai ajudar. Você tem que apoiar constantemente este novo e paradoxal desejo, mantê-lo limpo o tempo todo.

Este esforço parece impossível. É por isso que se diz: “Mil entram numa sala, mas apenas um sai para a Luz”. Todos os outros também fazem um grande trabalho corrigindo-se de alguma forma, mas as circunstâncias são diferentes, e não é a vez deles agora.

Portanto, o problema é que o mandamento de amar os outros é contrário à nossa natureza.

Da 4ª parte da Lição Diária de Cabalá 31/10/11, “O Amor pelo Criador e o Amor pelos Seres Criados”

Comente