Tempestade Na Rede

Dr. Michael LaitmanNa Mídia: “A mídia social tem sido uma força poderosa para alimentar os distúrbios que começaram no sábado (06 de agosto de 2011) em bairros de Londres e mais tarde se espalharam para outras cidades, como Birmingham, Liverpool, Leeds e Bristol. Mensagens também foram enviadas via textos regulares e no Facebook.

“O sistema de mensagens BlackBerry era popular entre os jovens porque é gratuito, pessoal e compatível com multimídia, em comparação com o Facebook e o Twitter. Suas mensagens criptografadas dão aos agitadores um benefício adicional: a polícia não foi capaz de rastrear imediatamente o tráfego de mensagens da mesma maneira que com telefones celulares normais”. (Fonte:. huffingtonpost.com )

“Eles (os hacktivistas coletivos) uniram forças com outros hacktivistas com o objetivo de derrubar o gigante das redes sociais, e essa ação seria organizada ‘para o bem da vida privada’ – e, a fim de proteger a liberdade da informação”. (Fonte: b92.net)

“O grupo de hackers conhecido como Anonymous prometeu ‘destruir’ o Facebook em 5 de novembro… Os ‘hacktivistas’, famosos por se meterem com o governo americano e por seu apoio ao WikiLeaks, anunciaram que irão se concentrar em derrubar o site de redes sociais por causa de sua política de privacidade.

“‘O Facebook tem vendido informações a órgãos do governo e dado acesso clandestino a empresas de segurança da informação para que possam espionar pessoas de todo o mundo”.

“‘Os distúrbios estão em andamento. Não é uma batalha sobre o futuro da privacidade e da publicidade. É uma batalha pela escolha e o consentimento informado’”. (Fonte: dailymail.co.uk )

Meu comentário: Todas as revoluções, as atuais e as do passado, mergulharão na história. Todas elas aconteceram sob a pressão de uma força rígida e irresistível. No entanto, recentemente, nós temos estado sob a influência de uma nova força, a força integral da natureza, que nos empurra para a união, seja pelo sofrimento ou pela percepção da necessidade, e isso constitui a nossa única escolha.

Assim, nenhuma revolução nos trará um resultado positivo. O ex-primeiro ministro britânico Gordon Brown escreveu que tudo o que estava acontecendo acontecia apenas para nos obrigar a nos unir, para nos igualar com o mundo global da natureza. Mas ele não poderia prometer nada, porque a união só pode ser alcançada atraindo-se essa força sobre si mesmo. E a Cabalá, a ciência da correção do nosso egoísmo e da unificação acima dele, descreve como fazer isso.

Comente