Suicídio Explode No Japão

Dr. Michael LaitmanNas Notícias (do rt.com): “Um triplo desastre em escala nunca vista no mundo causou dano, destruição e incerteza, forçando dezenas de milhares de japoneses refugiados a deixar suas vidas para trás e procurar abrigo em qualquer lugar que pudessem.

 ‘Algumas pessoas evacuaram’, diz Komae Hosokawa, um sociólogo nuclear. ‘Mas, o problema é que elas são a minoria e têm sido acusadas por seus vizinhos, por seus colegas de classe e, claro, pelos funcionários oficiais que elas estão causando ansiedade sem fundamento entre as pessoas, o que não é bom’.

Não obstante, antes de ser um movimento para a autopreservação, essa ideia de deserção é definida por muitos como caracteristicamente não-Japonesa e valeu àqueles que foram evacuados o desonroso título de traidor…

“’Nós ouvimos que alguns agricultores de orgânicos cometeram suicídio, porque você sabe para agricultores de orgânicos o solo é tudo’, diz Komae Hosokawa. ‘eles nutrem o bom solo depois de muitos anos de trabalho duro e ele foi contaminado em uma noite ou duas como você sabe. Assim alguns agricultores cometeram suicídio, e eu estou muito triste de ouvir as notícias. E muitos outros agricultores também estão muito deprimidos’…

“A taxa aumenta não no epicentro, epicentro do desastre, mas nas áreas periféricas’, disse Dr. Hirohito Hirose, um psicólogo especialista em desastres, ‘Por que os sobreviventes que têm que reconstruir suas vidas, eles não têm tempo para (considerar) o suicídio’.

Esse desastre certamente cobrou seu preço na economia do Japão e tal lembrança constante de um tópico intenso pode prejudicar a psique coletiva do povo que vive aqui também”.

Meu comentário: Talvez, pareça heroico, mas isso não é uma fuga de certos problemas, os quais eles não têm força para resolver construtivamente? O ser humano é uma criatura vulnerável, um pequeno desejo de autopreservação, de satisfação.

É por isso que uma falta de satisfação, uma sensação de vazio, é sentida como sofrimento, do qual a pessoa quer se livrar, possivelmente escapando da própria existência.

Comente