A Condição Da Liberdade Absoluta

Dr. Michael LaitmanO Criador criou tudo para dar prazer ao homem. Mas nós precisamos de um vaso (desejo) para receber o bem que Ele quer dar. Ele queria dar o prazer que Ele desfruta por Si mesmo: a doação. Não há outro prazer no mundo!

No entanto, para nós sentirmos esse prazer, nós precisamos ter a qualidade oposta, a falta de satisfação, porque o oposto do desejo de doar é o desejo de receber prazer. É por isso que o Criador cria o desejo de desfrutar, uma criatura artificial que não existia antes, como uma impressão inversa de Si mesmo.

Agora, a criatura sente essa oposição em si mesma. Por um lado, ela considera que é possível apreciar a satisfação do seu desejo. Mas depois ela faz uma análise e começa a desejar doar. Ou seja, ela já não procura a satisfação.

A doação não é a realização, mas a qualidade, o desejo de dar. Na doação, a pessoa não fica satisfeita com o que recebe em troca, mas a própria ação de doação torna-se a satisfação para ela. Enquanto que na recepção, a ação é separada da satisfação. E quando a satisfação entra em mim, eu me sinto satisfeito. Isto é, o meu desejo e a realização são duas coisas opostas, e eu preciso trabalhar duro para receber satisfação, uma vez que ela é oposta a mim.

No entanto, na doação eu preciso apenas sentir o desejo do outro e satisfazê-lo. Essa própria ação, em relação ao outro a quem eu satisfaço, torna-se a minha realização. Eu não espero receber qualquer recompensa em troca. O meu prazer está na ação de dar.

Devido a esta diferença, a pessoa que trabalha com a recepção sempre tem que verificar e avaliar: quanto eu dei, e quanto eles me pagarão? Porque o pagamento não depende de mim, mas do outro, do quanto ele gostaria de me pagar. Mas se eu trabalho na doação e quero apenas isso, eu não dependo de ninguém e posso decidir onde está o meu limite!

Portanto, a pessoa que anda no caminho da doação estabelece para si mesmo até que ponto ela quer estar nele. E o Criador concorda com ela! Existe apenas uma lei geral de doação e amor, que engloba e preenche toda a criação. Não houve restrição ou proibição de doar! É por isso que cada criatura pode decidir por si mesma em que nível ela quer estar em relação a esta qualidade, o pensamento, a intenção de doar.

Aqui pode haver o cálculo do quanto eu fiz e quanto serei pago. Não há razão para temer que se eu fizer menos, eu receberei menos. Eu estou nesta lei geral de doação mútua, envolvendo todo o universo e preenchendo-o, como “não há outro além Dele”. Eu me estabeleço no grau que quero estar. De acordo com este grau, eu experimento a revelação ou a ocultação de minha capacidade de doar, e, de forma eu desfruto.

Da 1ª parte da Lição Diária de Cabalá 29/07/11, Shamati # 61

Comente