Quando Todos São Responsáveis ​​Por Todos Os Outros

Diz-se: “. Criei a má inclinação, e criei a Torá como tempero já que a Luz nela reforma”. Assim, em primeiro lugar, temos que revelar a inclinação para o mal, e então, na medida em que nós sentimos, nós vamos querer encontrar um “tempero”, um “remédio” que por sua vez, que vai o transformar na boa inclinação.

Como podemos revelar a inclinação para o mal? Para isso, uma pessoa deve encontrar o ambiente certo. Se ela quer ser incluída neste ambiente, de modo que todos as pessoas tornem-se como um homem com um coração, se ela quer garantia mútua e unidade integrante com todos, sem qualquer distinção, quando todos são responsáveis ​​por todos os outros, semelhantes às células de um corpo vivo, se ela não julgar os outros, mas se preocupar com eles para que possam despertá-la, se a coisa principal para ela é o seu trabalho pessoal interno; se ela tentar estar entre os amigos e abaixar a cabeça diante de deles apenas para receber deles a realização da importância do objetivo e cancelar-se novamente para que a importância de seus amigos a cobre com ainda maior reconhecimento da meta e do meio ambiente, se ela está constantemente neste círculo e trabalha nele, então ela recebe dos seus amigos a sua consciência coletiva, integrante da importância do objetivo.

Isso não é mais seus vasos, seus desejos, mas o desejo do coletivo. Isso já é Malchut. A única pessoa que se esforçou para levantar o seu pedido ao grupo, o Malchut do mundo de Atzilut, agora está nele, se ela se conecta com seus amigos, os despertando e trabalha em conjunto com eles. Em resposta, eles a despertam, e todos juntos se tornam um desejo, um todo. Seus pedidos pessoais tornam-se unidos e se transformam em Malchut do mundo da Atzilut, que está perto de nós.

 

Se não houver unidade entre eles, pelo menos em alguma coisa, ela influencia os graus mais elevados, para que não se relacionem. Nosso sentimento, percepção e nossa realidade está apenas na Luz de Malchut.

Assim, nosso trabalho deve ser destinado a Malchut do mundo de Atzilut, na ligação com todos os outros e, juntos, na unidade com a fonte do Criador. Este trabalho está dividido em dois componentes que, de fato, tem que ser soldadas entre sí:

  • Um relacionamento com o grupo;
  • Um relacionamento com o Criador

Se agirmos corretamente, chegaremos a primeira revelação. Só depende do grau em que unimos nossos pedidos em uma única oração. E depois todos com seu desejo pessoal vão descobrir que ele está incluído em Malchut. Em si, Malchut é um ponto, mas nós “expandimos” e o construímos pelos nossos desejos. As nove Sefirot inferiores estão no mundo da BYA (Beria,Yetzira, Assiya), em um estado quebrado.

[47310]

Da 5 ª parte da Lição Diária de Cabalá de 06/07/2011,”MatanTorá (A Entrega da Torá )

Material relacionado:
O Lugar Onde Somos Um
Ódio No Caminho do Amor

Comente