O Ponto Central Do Universo

Dr. Michael LaitmanBaal HaSulam, O Estudo das Dez Sefirot, Parte 1, “Tabela de Perguntas e Respostas para o Significado das Palavras“: Pergunta 39: O que é o ponto médio (Nekuda Emtzait)? Este é o nome de Behina Dalet (fase quatro) em Ein Sof (Infinito). Ela é nomeada após a unificação com Ohr Ein Sof (a Luz do Infinito).

Nós só começamos a perceber a nós mesmos, a nossa existência, depois de termos alcançado a quarta fase. Isto é porque nós só podemos sentir o nosso próprio ser em contraste com seu oposto: a raiz superior.

Este sentimento é revelado na ultima e quarta fase da fase quatro (Behina Dalet de Dalet). Isso ocorre porque a quarta fase é o desejo de desfrutar, o qual começa a conhecer a si mesmo. Todas as fases anteriores devem ser reveladas dentro dela.

As fases zero, um, dois e três são separadas desde a raiz e constroem-se dentro da quarta fase. A ultima (quarta) fase reúne a experiência de todas essas fases e revela a si mesma e seu relacionamento com Ele, isto é, atinge o que o superior está fazendo com ela, em relação às demais fases.

Esta fase quatro da quarta fase descobre-se como o desejo de desfrutar. Em sua parte superior, ela chega à compreensão e realização da raiz, enquanto que na parte inferior, a sua própria relação, a reação à revelação da relação do Criador com ela, já é aparente. Esta reação é o sentimento de vergonha que faz com que ela realize a primeira restrição (Tzimtzum Aleph).

Como está escrito, esta fase é chamada de ponto médio (Nekuda Emtzait) “depois de sua unificação com Ohr Ein Sof (a Luz do Infinito)”, ou seja, que toda a Luz do Infinito é revelada nela antes que ela sinta a vergonha e decida realizar a restrição.

Tudo isso está concentrado no interior da quarta fase (Dalet), no limite onde termina sua parte superior. Nesta parte, ela sente a atitude do Criador em relação a ela, e assim, une-se a Ele, o que significa que ela está incluída Nele e anula-se diante desta Luz, o amor do Criador.

Isso acontece exatamente no limite, após o qual a parte inferior e uma nova revelação começam. No estado de sua fusão com o Criador, onde ela alcança sua plena união com a Luz e a lealdade a Ele com toda a sua alma e coração, em virtude de sua natureza, no mais profundo dessa união, de repente ela descobre uma qualidade no Criador à qual ela não pode se conectar.

Isto é porque agora ela não está conectada ao próprio Criador, mas à satisfação que ela está recebendo Dele. É por isso que ela sente a sua conexão como imperfeita. Há mais uma qualidade no Criador, a qualidade daquele que dá, e ela não é capaz de se conectar a esta qualidade. É por isso que ela começa a sentir vergonha. No mais profundo de sua conexão e dependência Dele, do mesmo modo que um bebê depende completamente da alimentação da mãe, ela descobre que Ele é oposto a ela.

Isso desperta uma vergonha terrível dentro dela, porque ela está no interior do Criador, na mais estreita conexão com Ele. Este sentimento de vergonha constrói as quatro fases inversas, quando ela decide o que fazer com esta discrepância, e vem da raiz do sentimento de vergonha até a sua quarta fase, a decisão de restringir-se e não receber mais a Luz. Agora, ela começa a buscar como se misturar sob as condições de igualdade e semelhança de qualidades, e não se restringindo e tornando-se aquele que é só recebe.

Este é o ponto médio, aquele que estava completamente unido com o Criador, antes de começar a arder de vergonha, e onde todas as ações subseqüentes ocorreram.

Da 3ª parte da Lição Diária de Cabalá 27/06/11, Talmud Eser Sefirot

Comente