Duas Faixas Da Transmissão Cabalística

Dr. Michael LaitmanO mundo está gradualmente submergindo em uma crise global; entretanto, a pessoa simples, o suposto cidadão cumpridor da lei, não a sente. Ele não vê mais do que aquilo que lhe está sendo mostrado em determinado tempo. Portanto, como nós alcançamos essa pessoa?

A sabedoria da Cabalá fornece resultados em dois níveis:

Primeiro de tudo, ela é a conquista do Criador, em cujo processo nós descobrimos a força eterna e perfeita. Nós nos unimos a ela na medida em que a revelamos, e fazendo isso, nós nos salvamos do anjo da morte; nós nos tornamos como o Criador.

Na medida em que adquiro essa semelhança, eu não me sinto mais como se pertencesse a algo finito e imperfeito. Agora, eu pertenço a Ele, mesmo que seja somente do jeito que o sêmen se fixa na parede do útero. Agora, eu estou Nele. Agora, eu estou num grau mais elevado do que esse mundo. Eu alcancei a eternidade, a perfeição, a harmonia e a liberdade.

Em segundo lugar, nessa vida corporal, eu recebo um método que me permite escapar dos meus infortúnios, que gradualmente se aproximam e se manifestam nesse mundo. Na verdade, eu dependo enormemente dos outros no nível desse mundo. Por essa razão, eu não posso garantir que o estudo da Cabalá me fará sentir confortável. Isso porque aqui eu existo numa rede comum que conecta todos.

Porém, eu me beneficio bastante no nível corporal com coisas como educação de crianças, e na minha atitude pessoal em relação à vida. A Cabalá realmente me ajuda em áreas onde eu posso pessoalmente influenciar minha vida, quase independentemente dos outros.

Dessa forma, eu sou contemplado com vantagens que eu posso sentir mesmo durante os primeiros anos de estudo. Eu posso educar meus filhos melhor, e eu entendo a vida melhor do que os outros. Mesmo assim, o elemento chave é a minha conquista do Criador. Essa é a “libertação do anjo da morte”.

Naturalmente, é mais fácil permanecer como “Simão do mercado”, vender melancias, assistir futebol à noite enquanto bebo cerveja, e ficar totalmente cego a tudo o mais. Quais são os planos, demandas e sonhos de tal pessoa? O paraíso para ela é um número infinito de hamburguês na grelha em frente a uma enorme tela de plasma onde seu time sempre ganha: seus olhos na tela, a mão automaticamente acende a chama. Nós não podemos explicar nada a uma pessoa como essa. Ela está sintonizada em um comprimento de onda diferente.

A Cabalá “transmite” em duas faixas: uma para aqueles que aspiram pelo sentido da vida e são capazes de tirar dela um novo entendimento da vida. A segunda também é um tesouro, porque a pessoa começa a ver o mundo mais profundamente e descobre os mecanismos que o dirigem, as conexões se desenvolvendo através dele. Ela vê os costumes e maneiras das pessoas, a natureza do universo, o fluxo da evolução, e a escala de prioridades. Você revela a ela nosso mundo, o sistema global e ela começa a entender os princípios de acordo com os quais ele opera.

Esse é um presente muito valioso. A pessoa na rua é incapaz de entender o que está acontecendo, mas, aqui, ela de repente começa a conectar uma coisa com outra, e as peças separadas se juntam em uma bela imagem diante dela. Ela revela o mundo onde vive e a jornada que trouxe a humanidade ao estado atual.

Até agora, ela não entendia essas coisas. Ela vivia atrás de uma cortina: “Essa é minha casa, esse é meu emprego, minha comida, e meu quarto”. Agora, a pessoa abre seus olhos mesmo antes que realmente comece a pensar sobre o propósito e o Criador. É assim que ela se torna um ser humano no nível desse mundo.

Da Lição Diária de Cabalá 13/05/11, “O Artigo da Sabedoria” do Ramchal

Comente