Vergonha Como Meio de Correção

Baal HaSulam,”MatanTorá (A Entrega da Torá),” Item 8: Este assunto é como um homem rico que levou um homem no mercado e alimentou-o e deu-lhe ouro e prata e todas as coisas desejáveis ​​a cada dia. E cada dia regou-o com mais presentes do que no dia anterior. Finalmente, o homem rico perguntou: “me diga, todos os seus desejos foram realizados?” E ele respondeu: “Nem todos os meus desejos foram satisfeitos, por quão bom e quão agradável seria se todos os bens e coisas preciosas viessem a mim através do meu próprio trabalho, como eles vêm a você, e eu não estaria recebendo a caridade de sua mão”. Então o homem rico lhe disse. “Neste caso, nunca haverá uma pessoa que poderá nascer para cumprir seus desejos.

“O Criador criou intencionalmente a criatura para que ela sinta desconforto e, como resultado, não pode receber qualquer realização em seu desejo. Este desconforto é destinado a promover a correção a criatura a tal ponto que não iria se acalmar até que ela doe ao Criador, tanto quanto o Criador doe a ela. A criatura não pode apenas receber mais, porque dessa maneira parece negligenciar o Doador, o Seu amor e doação.

O amor do Doador é absoluto. Sua doação é perfeita e destituída de qualquer intenção de causar vergonha na criatura. Nós sentimos que a vergonha é vinda de nós, do desejo de receber. Na nossa sensação, não atribuímos esse desejo ao Criador e, portanto, nós não “culpamos” a vergonha que desperta neste desejo do Criador.

“Espere! Mas não há outro além Dele. O Criador governa tudo”.

É verdade, mas a questão da propriedade surge aqui. Se eu pensar em mim como existente, então eu atribuo o desejo de receber e a vergonha a mim mesmo. Se eu não me vejo como existente, eu posso atribuir o desejo e vergonha para o Criador. Não há outras opções, eu não posso sentir minha existência e ao mesmo tempo, atribuí-la ao Criador: “Ele fez isso!” Eu tenho o ponto de minha própria existência? Se eu não fizer isso, não temos nada para falar. Se eu fizer isso, então precisamente eu desejo e sinto vergonha.

 

Assim, a vergonha é a alavanca, o dispositivo que nos permite alcançar a correção. O que é isso? Vergonha é a diferença entre o receptor e o doador, sentida no receptor. Em outras palavras, temos que chegar a essa vergonha ainda.

Assim, no capítulo “reflexão interna”, O Estudo das Dez Sefirot, Parte 1, Baal HaSulam cita Rabbi Elazar, que disse que a vergonha foi preparada apenas para as almas elevadas. Elas alcançam o Criador, a Sua atitude para com nós, e portanto, alcançam vergonha. Quanto mais avançamos na revelação do Criador, mais sentimos vergonha que se torna a ferramenta de correção.

Não podemos corrigir alguma coisa sem vergonha. É inútil censurar um gato que comeu creme de leite. Apenas um ser humano pode ficar vermelho e sentir vergonha porque ele tem essa raiz, mas o nível animal não pode. Assim, no nível humano, tudo depende de quanto eu entendo e me considero um ladrão, quem recebe por causa da recepção, independentemente do Mstre, o Doador.

Há algumas sutilezas: Se eu quiser fazer doação , eu preciso sentir o Doador, para sentir o quanto Ele quer me dar. Não posso ter vergonha, sem isso, o que significa uma noção de o quanto eu deveria dar-lhe em troca. Então, não há nenhuma semelhança entre nós, e eu não saberei como se comportar e o que Ele quer de mim na realidade.

Em outras palavras, sem revelar o Criador, a criatura não pode executar um único mandamento, uma única ação de doação. Se eu não tenho a imagem do Doador na minha frente, não tenho nada com que me comparar.

Eu sou como o pobre homem do exemplo de Baal HaSulam e o homem rico está na frente de mim. Ele me ama, ele dá-me tudo e está pronto para fazer qualquer coisa por mim, mesmo tornar-se pobre, fazendo-me rico. Mas eu tenho que senti-lo, sentir sua atitude e em frente a ele, eu e minha atitude. Eu tenho que entender que eu sou incapaz de retribuir o seu amor.

O problema aqui não está na realização ou no que ele me dá. Caso contrário, seria suficiente apenas parar de aceitar seus presentes. Além disso, mesmo se eu quisesse recompensá-lo, o que posso dar para o dono dos tesouros infinitos? O que posso dar ao Criador?

Assim, a vergonha é a razão pela qual a criatura adquire os vasos de doação, a intenção de doar.

[46266]

Da 5 ª parte da Lição Diária de Cabalá de 23/6/11, ,”MatanTorá ( A Entrega da Torá)

Material relacionado:
Vergonha É O Oposto Da Perfeição

Comente