Reshimot: As Memórias Sobre O Futuro

A finalidade da criação é tornar-se semelhante ao Criador. “Este é o significado do fazer o bem às suas criaturas”. Como a criatura se torna semelhante ao Criador? O que implica essa semelhança?

Primeiro de tudo, você deve querer isso. Como você pode começar a querer? Você tem que estar em frente ao Criador com o desejo de se tornar semelhante a Ele. Este é um desejo: eu não tenho o que quero, mas eu desejo fortemente conseguir o que não tenho.

O Criador é bom e faz o bem para o bom e para o malvado, Ele é amor e doação, a qualidade de Hesed, Gevurah, Tifferet, Netzah, Hod e Yesod…. Existem muitas qualidades que eu não entendo, mas eu tenho a oportunidade, a necessidade, o desejo que corresponde a cada uma delas, de desejá-las.

O Criador tem 613 qualidades de doação. Eu tenho (embora ainda não tenha descoberto isso ) 613 desejos que me permitem querer as mesmas qualidades que as 613 qualidades ou Luzes do Criador. Eu tenho que alcançar esses desejos. Eu quero ser semelhante ao Criador em cada um deles. É dito sobre Ele: “ComoEle é misericordioso, sejamos misericordiosos”.

Entretanto, para querer eu tenho que saber o que me falta. Mas como posso saber o que eu não tenho? Para entender o que é ser um adulto, tenho que me tornar um. Para entender como ser forte, rico ou sábio, eu tenho que saber sobre isso em primeira mão. Será que eu poderia desejar o que é desconhecido para mim?

No nosso mundo, uma criança quer crescer instintivamente, sem saber o porque, o que é, porque a natureza a obriga a crescer, ultrapassando o seu entendimento. Este desenvolvimento tem lugar no nível animal; no entanto, na espiritualidade, eu mesmo tenho que saber o porquê e para quê eu quero. Este é um desejo real.

Como eu posso começar a desejar a equivalência com o Criador? Para fazer isso, tenho de alcançar o status do Criador, para verificar o que é, se vale a pena ou não, e em seguida desejar isso. Como posso alcançar o status do Criador para querer me tornar semelhante a Ele?

Para isso, a quebra dos vasos foi realizada. Graças a ela, nós nos esforçamos para ser semelhantes ao Criador cada vez e mais, e nos tornarmos semelhante a Ele por meio de sua força. Por isso, a destruição do Primeiro e Segundo Templos foram necessárias, e os estudos da ciência da Cabalá, no contexto espiritual da quebra dos vasos. Nós estamos falando da queda do nível da recepção em prol do amor e doação (o Primeiro Templo), para o nível de doação em prol da doação (o Segundo Templo), e depois ao nível da recepção em prol da recepção, a este mundo.

Como resultado, temos um registro de todos os estados que passamos, desde o nível do Primeiro Templo, desde a altura do amor, incluindo o Segundo Templo, que é muito menor do que o Primeiro Templo, mas ainda é grande. Todas as impressões que foram adquiridas neste caminho estão enraizadas em nós e são chamadas de”Reshimot” (reminiscências ou genes espiritual).

Quando elas despertam em mim, eu tenho que realizá-las. Em outras palavras, uma Reshimo (singular de Reshimot) não é suficiente. Por isso, eu tenho que imaginar o que significa ser um doador. Para fazer isso, eu tenho o grupo e os estudos: neles eu percebo a minha Reshimo, e a partir dela, na medida de minhas forças, formo uma realidade.

O “relacionamento com os amigos, com o ambiente, com a Luz que Reforma, se torna um canteiro de obras”. Eu tenho o “material”, que significa o desejo, bem como uma Reshimo, e agora quero introduzir esta Reshimo no material para que ele se realize lá e dar-lhe forma material. Então, eu preciso da força do Alto, a força da Luz, que vai me ajudar a realizar.

Rabash escreve sobre isso no artigo número 940 da coleção Dargot HaSulam (Degraus da Escada): “Diz-se sobre a destruição do Templo: e me farão um santuário, para que eu possa habitar no meio deles”. Isso significa: edifica-me um Templo do seu desejo, construa tal casa que se tornará a casa de santidade, de doação e amor. Se você tiver um vaso desse tipo de doação e amor, “Eu posso habitar entre eles”, ou seja, a Luz superior vai viver nele.

“Estamos falando do ponto no coração, que deve se tornar o lugar do Templo para que a Luz do Criador venha morar nele. É por isso que uma pessoa tem que tentar construir sua casa de santidade. “De todos os meus desejos que são originários do Infinito, com a ajuda das Reshimot incorporadas em mim durante a quebra, eu tenho que construir a forma correta, cada vez percebendo as minha Reshimo de um material mais pesado.

Isso vai me dar todos os detalhes necessários de percepção, porque eu sempre obtenho o oposto ao Criador. Assim, sabendo da minha forma, eu sou capaz de perceber Sua forma oposta ao meu avanço.

Desta forma, em nosso mundo, a pessoa já tem formas correspondentes e opostas ao Criador. Nesse hiato entre o desejado e os estados reais, a pessoa sempre tem a oportunidade de construir o seu desejo, sabendo que ela quer. Isso é possível porque antes da quebra dos vasos nós existíamos em perfeito estado, a partir da qual as Reshimot foram deixadas em nós.

Esta é a resposta à eterna questão: “Como posso me tornar semelhante ao Criador? Como eu sei o que isso significa?”. Nós podemos desejar isso devido aos registros (Reshimot) mantidos em nós das fases pelas quais passamos.

Da 4 ª parte da Lição Diária de Cabalá de 07/06/2011,, Escritos do Rabash

Material relacionado:
Uma Pintura Com Manchas Brancas

Comente