Cabalistas, Venham Para O Quadro!

Dr. Michael LaitmanPergunta: Se eu comprar dois pães, mas comer apenas um, isso significa que estou roubando o outro de alguém?

Resposta: Sim, é verdade. Nós não sabemos ainda com que precisão tudo é pré-calculado. No entanto, nós estamos prontos para percorrer 125 graus de desenvolvimento, e agora, não se espera que você faça qualquer cálculo, o qual você é incapaz de fazer de qualquer maneira. Ainda assim, você é capaz de compreender a situação: nós residimos em um sistema integral, um mundo global interdependente. Quer gostemos ou não, a Natureza, ou o Criador, está nos educando sobre isso ao enviar-nos golpes, se não estamos dispostos a reconhecer o óbvio com antecedência.

Nós não conseguimos obter nenhum excedente sem privar alguém. Por exemplo, a Terra tem certa quantidade de água doce armazenada, e você consume mais do que os outros, obviamente isso será à custa deles. É assim que a Natureza nos ensina como estamos interconectados. Mas se estudarmos esta interconexão com a nossa consciência interior, espiritual, trabalhando cooperativamente, não precisaríamos aprender com as fomes e catástrofes no caminho do sofrimento. Para quê?

Empregando a educação global, nós podemos explicar a toda a humanidade que somos todos irmãos, já que estamos todos bem conectados e dependemos uns dos outros. Nas palavras do Baal HaSulam, o mundo inteiro é uma família. Assim, não podemos agir uns às custas dos outros, porque você não só está roubando deles (o que não podemos dar ao luxo de fazer por mais tempo), mas também está privando a si mesmo do mundo espiritual.

Olha o que você vai conseguir ao aprender a aplicar a lei da sociedade equilibrada pelo consumo básico. “O que os bilionários têm além de zeros no banco?”, pergunta o Baal HaSulam. Afinal, quando a economia entrar em colapso, você não terá nada.

“Espere, mas eu sou dono de uma obra-prima de 30 milhões de dólares!”. Isso é ótimo, mas o problema é que ninguém precisa dela. Você pode comê-la no jantar, se quiser. “Mas eu tenho alguns quilos de ouro em meu cofre!”. Bom, mas não há ninguém para comprá-lo, então o que você vai fazer? Anteriormente, ele tinha algum valor e você poderia comprar um caminhão cheio de comida com ele, mas hoje ninguém precisa do seu ouro.

Nós teremos que estudar muito se não educarmos a humanidade com antecedência. Educá-los sobre o quê? Temos que ensiná-los sobre as coisas simples: apresentá-los à nova realidade governada pela interdependência global, a integração e a reciprocidade, onde todo mundo depende um do outro.

Dê uma olhada nos Europeus que estão prestes a se dissolver e separar. Eles não entendem que a tendência geral está fazendo-os recuar e romper os laços é impossível. Mesmo o “rico mercado comum”, que na realidade não é nada mais do que um bazar de ladrões movido pelo ego, onde todos se odeiam, ainda estava facilitando pelo menos as conexões externas. A Europa anulou as fronteiras e cunhou a sua própria moeda gravada com seu egoísmo coletivo nela. Este foi certo grau de progresso.

Isto é o que temos que explicar. Chegou a hora; estamos literalmente convidados, “convocados ao quadro”. Devemos nos esforçar ao máximo em educar o mundo, parar de esperar por outra coisa, e começar a trabalhar com nossa capacidade plena.

Da 5ª parte da Lição Diária de Cabalá 22/06/11, “Matan Torá (A Entrga da Torá)”

Comente